29 de set de 2009

Funções Litúrgicas: O Cerimoniário

 

coroinha 

Aprendi e costumo dizer que “se uma missa for filmada, o cerimoniário é o único que não aparece, tamanha a sua discrição.

 

Se me pedissem para definir o cerimoniário em poucas palavras, diria que é aquele que é discreto e se antecipa às ocasiões.

Veremos adiante que estas são características das mais principais de um bom cerimoniário, mas que possui ainda outras qualidades.

A discrição deve ser uma qualidade que todo coroinha/ acólito – e não somente o cerimoniário – deve possuir. Sem ela você nunca conseguirá desempenhar satisfatoriamente sua função.

A antecipação, característica do cerimoniário, se dá quando ele (a) se adianta a uma situação, ajudando para aprimorar alguma coisa ou impedindo que algo de ruim ou errado aconteça. Por exemplo: durante a missa haverá um batizado. Então você notou que o padre esqueceu o livrinho – sacramentário. Cabe a você, como cerimoniário, ir a procura deste e livro e estar com ele quando o celebrante precisar ou discretamente e em momento oportuno, entregá-lo ou colocá-lo próximo ao missal. Isto é antecipar-se!

Se você não se antecipar a situações como estas o que poderá acontecer?

* O Padre irá lhe pedir o sacramentário. No entanto, seria ótimo para você e para o seu grupo que, antes do padre pedi-lo, você já esteja com ele pronto para ser entregue.

* Ou chegará o momento de o batizado começar mas o padre esqueceu o livrinho e você não notou sua falta ou não foi buscar a tempo. Ficará, então, uma lacuna na celebração até que o sacramentário seja entregue ao celebrante.

Note que acima, falei outra característica  essencial de um bom cerimoniário: a atenção. Aliada a observação, a atenção nos permite estarmos sempre alerta, ou seja, atentos e  prontos para qualquer ocasião que necessite da nossa intervenção.

desatenção

Mas estas qualidades emanam do principal dom que um cerimoniário deve ter: o profundo conhecimento da Liturgia Conhecer o tipo de celebração, os momentos próprios da celebração que você estará escalado, saber o que acontecerá de diferente, enfim, estar consciente de toda a celebração que você ajudará a conduzir, são primordiais a esta função.

Lembrando… O que fazer para ser um bom cerimoniário?

* conhecer profundamente a liturgia e o tipo de celebração que você irá desempenhar a função. Chegue cerca de 30 minutos antes de seu início e converse com o celebrante a respeito dela.

* Esteja sempre atento a tudo que o rodeia: preste bastante atenção ao celebrante, pois a qualquer momento ele pode precisar de sua ajuda e lhe chamar.

* Antecipe-se a qualquer situação/ ocorrência.

* Seja discreto. Aprendi e costumo dizer que “se uma missa for filmada, o cerimoniário é o único que não aparece, tamanha a sua discrição.

* Estude, atualiza-se, leia bastante.

______________________

Uma dica ao seu Grupo:

Mesmo tendo cerimoniário, é costume de alguns celebrantes não recorrerem a ele, e sim ao coroinha mais próximo, com o intuito de ser atendido mais rapidamente. Converse antes com seu pároco e com os coroinhas do seu grupo para habituarem-se a fazer uso, nessas horas, somente do cerimoniário.

Mas atenção! O padre chama outro coroinha porque, algumas vezes, o cerimoniário não está lhe dando a devida atenção.

________________________

Entenda que quando falo de cerimoniário estou falando também das meninas que desempenham esta função.

27 de set de 2009

Duas novas apostilas de dinâmicas

 

dinamicas

Seguem abaixo os links para download de duas novas apostilas de dinâmicas para que você possa realizá-las em seu grupo. Para baixar é só clicar nos títulos das apostilas:

 

Apostila com 120 dinâmicas

Apostila com 97 dinâmicas

25 de set de 2009

Que tipo de coordenador você é?

O sucesso do grupo depende em grande parte da capacidade e dedicação do coordenador. Porém, nem todos os tipos de coordenadores facilitam o crescimento dos membros.

Vejamos abaixo alguns tipos de coordenadores. Análise e defina qual é o seu perfil de coordenador.

1. Coordenador ditatorial

O ditador não se importa com o que seus subordinados pensam. Todos os elementos do grupo dependem exclusivamente do "ditador", que possui autoridade máxima. Os membros são meros "executores" das ordens da autoridade. Às vezes, o grupo ditatorial adota aparentes formas democráticas, mas na realidade as orientações que vem de cima. Neste tipo de grupo, os membros são apáticos e perdem todo o espírito de iniciativa e responsabilidade estão submetidos a fortes pressões afetivas e a guerrinhas entre si. Os grupos ditatoriais, embora aparentemente possam ter, em um primeiro tempo, maior eficácia na execução - dependendo da qualidade do líder - terminam dissolvendo-se ou caindo no mero formalismo.

coordenadorditador

2. Coordenador paternalista

Na prática trata-se de um grupo ditatorial em que o líder é bom e representa a figura paterna. Todos dependem de seus "conselhos". Aqui, as pressões afetivas e, conseqüentemente, o sentimento ambivalente de amor - ódio, especialmente ao levantar-se nos membros o desejo de maior personalidade e iniciativa. Apesar das primeiras impressões serem diferentes, o ditador e o paternalista são bastante semelhantes. Nenhum deles vê com bons olhos o aparecimento de outros líderes. O coordenador paternalista às vezes é pior porque agarra seus seguidores emocionalmente. Os membros têm medo de magoar seu coordenador com críticas, afinal, "ele é tão bonzinho!". Por outro lado, é mais fácil perceber a má influência o dano causados pelo coordenador ditatorial.

coordenadorpaternalista

3. Coordenador Permissivo

O lema deste grupo de coordenadores é: "deixar como está para ver como fica". Em geral, este coordenador é uma pessoa muito insegura que tem receio de assumir responsabilidade. Ao contrário do ditatorial, que só dava ordens, o liberal não dá instrução alguma. Cada um de seus auxiliares faz o que quer e como bem entende. Na divisão de trabalho, na repartição das responsabilidades, a confusão é completa. A sua direção gera atritos e desorganização entre os membros. Une-se apenas uma ligação efetiva e certo desejo de conseguir um objetivo comum. Estes grupos tendem a dissolver-se ou a criar no grupo ditatorial para poder sobreviver.

coordenadorpermissivo

4. Coordenador Democrático

Este tipo de coordenador sabe que, com a ajuda do grupo, será mais fácil resolver os problemas. Respeita o homem e crê nele. Consegue a cooperação do grupo pela a sua competência, paciência, tolerância e honestidade de propósitos. Não dá ordens: dá o exemplo, estimulando em vez de ralhar. Toda a sua atenção está concentrada para o que o pessoal pensa. Sabe obter o máximo de produtividade por meio do máximo de vontade. Todos participam das atividades comum e têm idéia clara dos objetivos e meios para consegui-los. Há livre intercâmbio de idéias e discussão clara dos membros necessários para atuar. O grupo democrático permite uma autocrítica comum de todos os membros e aprofunda a consciência da responsabilidade de todos e de cada um nos objetivos comuns. Progressivamente vão aparecendo nos grupos os líderes naturais. O coordenador deve atrai-lo e formá-lo para a liderança. É um dos momentos mais delicados.

coordenadordemocratico

24 de set de 2009

Quantidade versus Qualidade

quanxquali

Afinal de contas, quantidade é importante? O que vem a ser melhor: a qualidade, mesmo com um grupo reduzido de coroinhas, ou a quantidade, pois muitos fazem mais?

Este é um assunto que deve ser pauta da próxima reunião da coordenação do seu grupo: Qualidade ou quantidade?

Desde já afirmo que as duas não caminham juntas. Explicarei porque mais a frente.

Vamos utilizar a pedagogia de Jesus: Ele pregava para multidões de pessoas, a Bíblia fala de 72 discípulos. Mas quantos eram os apóstolos? Doze. Jesus nos deu um grande exemplo de como devemos proceder nos nossos grupos: por mais que tenhamos muitos coroinhas um número menor de membros sempre é melhor.

Mas porquê? Vejamos:

* Um grupo de 12, 15 a 20 coroinhas, torna mais fácil a amizade, a união; todos se conhecem e tem algumas afinidades para chegar num ideal comum.

* Um grupo com muitos membros favorece a desunião, através das formações de “panelinhas”, porque muitos serão os interesses: quanto mais pessoas maior será o número de vontades, pensamentos próprios que podem nunca chegar ao desejo comum do grupo.

Converse com a sua coordenação, com seu pároco e com o seu grupo sobre este assunto. A minha sugestão é que seu grupo forme um grupo-base de 12 a 15 membros (o ideal) podendo chegar a 20, não mais que isso. Lembre-se da pedagogia de Jesus: Ele se preocupava com as multidões, mas cuidava do grupo dos doze que daria prosseguimento à sua missão cá na terra.

selo_qualidadepriorize a qualidade e não a quantidade.

22 de set de 2009

Como estar bem preparado para a celebração? Parte 2

 

eucaristia351

  • Evite conversas com outros coroinhas durante a celebração. Fale apenas o estritamente necessário e jamais se dirija a alguém ou a qualquer outro lugar sem a real necessidade.
  • Não acene para pessoas da assembléia. Evite gestos indiscretos. Cante, responda, louve a Deus com alegria e entusiasmo.
  •  

  • Tenha uma postura discreta: Não cruze as pernas quando estiver sentado; não cruze os braços. Nunca masque chicletes ou balas durante a missa.
  •  

  • Mantenha certa distância do seu próximo para não atrapalhar o manuseio de livros, as gesticulações, etc.
  •  

  • Quando estiver desempenhando uma função que utiliza algum objeto (cruciferário, ceriferário, etc.) NÃO é necessário fazer a genuflexão (ajoelhar-se). Ao aproximar-se do altar, apenas incline a cabeça em sinal de reverência.
  • Coroinha, administre seu tempo!

     

    portal_tempo

    Você já deve ter notado o quanto eu estou (ou melhor, estava) ausente. Basta observar o arquivo do Portal do Acólito: Agosto – 18 postagens, setembro – 4 postagens.

    Hoje quero conversar com você, leitor, sobre o que ocasionou esta ausência: a falta de tempo.

    Sabe quando o seu dia precisa de mais que 24 horas? Era assim  como estava me sentindo. Aproveitei esta questão do tempo para que possamos perceber o tempo que dedicamos para cada coisa da nossa vida, desde as mais inúteis às mais importantes.

    Já notei que alguns coroinhas realmente merecem os apelidos carinhosos de “ratos de igreja”, “papa-hóstia” e tantos outros que bem conhecemos. Estou falando daquele (a) coroinha que passa mais tempo na Igreja do que em casa, por exemplo. Isto é bom? Por um lado é. Estar perto de Deus é bom. Entretanto, será se realmente estamos fazendo algo produtivo enquanto lá estamos?

    Estive fazendo um levantamento do meu tempo. Veja:

    • Trabalho: 8 horas diárias
    • Estudo: 5 horas/ dia
    • Namoro: 1 a 3 horas/ dia
    • Internet (blog, twitter, emails, redes sociais): 3 a 4 horas por dia
    • Família: 2 horas/ dia

    Observe bem que destaquei o que para mim seria o mais importante: a família. Note que ela é, invariavelmente, a que dedico menor parte do meu tempo.

    tempo_dineiro_portal

    Tempo não é dinheiro, tempo é sua vida.

    Portanto, vai aqui um conselho precioso: passar muito tempo na Igreja, ajudando o padre, o sacristão em suas tarefas remuneradas, limpando os bancos, lendo alguma coisa, enquanto você poderia estar estudando, passando mais tempo com seus pais e irmãos, ou até mesmo se divertindo é prejudicial a você e aos que te amam.

    Não estou dizendo que você não deve ir a Igreja. Mas que você saiba dedicar o tempo necessário para cada coisa. Faça uma pequena planilha como fiz acima: anote quanto tempo você está dedicando para cada setor/  aspecto da sua vida. Observe onde você deve aumentar e diminuir o tempo. Depois, volte aqui e, nos comentários, diga o que mudou em sua vida.

    19 de set de 2009

    Faça parte da Rede Social Coroinhas do Brasil

    Vamos lá! Junte-se a nós!


    Seja membro de Coroinhas do Brasil

    11 de set de 2009

    Como estar bem preparado para a celebração?

    coruja

    “Esteja sempre atento!”

    1- Sempre que você estiver escalado para ajudar nas celebrações, procure chegar em pelo menos 20 minutos de antecedência para receber as últimas instruções e se preparar para exercer a sua função. Contudo, não se esqueça que para comungar você deverá estar preparado. Se necessário, faça antes a confissão.

    2- Esteja sempre bastante atento em relação aos objetos que o redeiam: estantes, vasos, pedestais, arranjos de flores e tantos outros para que assim você evite acidentes que podem causar constrangimento e tirar a atenção da assembléia.

    3- Durante os ritos e toda a celebração faça todos os movimentos (sentar-se, locomover-se, genuflexão…) de forma natural: nem muito lento nem apressadamente e muito menos exageradamente.

    4- Manuseie os objetos litúrgicos com bastante atenção: as galhetas, por serem geralmente de vidro, podem quebrar em qualquer acidente ou queda. OS objetos de metal como o cálice, ao cairem podem provocar barulho que tirará a atenção da assembléia.

    5- Manusei com cuidado tamém os livros e outros objetos relativos a sua função.

    6- Em qualquer dúvida relacionada ao desempenho de sua função na celebração, que podem ocorrer principalmente em missas especiais, converse antes com o seu dirigente/ coordenador para que este lhe dê todas as instruções para que você “não se perca” durante a celebração.

    Amanhã trarei mais cinc dicas

    8 de set de 2009

    Roteiro-Base para encontros semanais

    caminho-arvores1024x768_jpg

    Dando sequência a nossa conversa sobre a metodologia dos 4 Eixos, vou apresentar agora o Roteiro base para os encontros semanais do Grupo de Coroinhas.

    1. Acolhida: Algum membro da coordenação do grupo ou uma equipe de serviço ou mesmo de acolhida, deve receber carinhosa e calorosamente os membros do grupo. Este momento muit contribui para criar, desde já, um clima de amizade. Podem ser utilizados cantos e dinâmicas que tenham relação com o tema a ser tratado.

    2. Motivação: É o elemento provocador do tema. Pode ser um símbolo, uma dinâmica, um canto, um cartaz, uma frase… que estimule a atenção e a participação dos coroinhas no encontro.

    3. Oração Inicial: Que seja espontânea e provocadora para o tema a que se estará tratando no encontro.

    4. Partilha dos Compromissos Semanais: Na metodologia dos 4 Eixos, proponho a realização de compromissos aos coroinhas, que tem por objetivo levar os coroinhas às ações que sempre devem acompanhar o cristão.

    “A Fé sem obras é morta”

    Falar os compromissos não é um forma de se exibir ou de prestar contas de boas ações que o coroinha fez durante a semana, mas uma forma de, dando o exemplo do que se praticou catequisar os demais coroinhas que, mais dia menos dia podem passar pela mesma situação.

    5. Vivenciando a Palavra de Deus: É o momento de ouvir o que Deus nos tem a falar e, após uma breve reflexão, buscar aplicá-la no nosso cotidiano.

    6. Compromissos:

    São assumidos em três formas:

    • Pessoal: Para ser executado individualmente.
    • Comunitário: Assumido por todo o grupo ou em pequenas equipes.
    • Além-fronteiras: Compromisso sempre assumido por todo o Grupo, que o leve a cultivar sua missão de verdadeiros cristãos. É o momento de sair da realidade de cada um e passar a descobrir novas realidades, conhecendo, por exemplo, novos jovens ou novas comunidades.

    7. Lembretes: Este é o momento em que se faz o planejamento e a distribuição de tarefas e atividades para o encontro ou as atividades seguintes. Alguns eventos paroquias, diocesanos ou de outros lugares podem ser lembrados.

    8. Oração Final: A partir do que foi rezado, partilhado, planejado… agradecer a Deus e pedir Sua ajuda para que sempre o grupo possa produzir bons frutos.

    10. Despedida: Pode ser feita da maneira que o grupo julgar mais conveniente: através de cantos, por exemplo.