29 de jan de 2010

Milagres Eucarísticos - Ferrara - 28/ 03/ 1171

Este milagre aconteceu na Basílica de Snta Maria in Vado. Pro pagava-se com perigo e heresia de Berengário de Tours, que negava a Eucaristia. Padre Pedro de Verona com três sacerdotes celebravam a missa de Páscoa; a Hóstia transformou-se em carne, saiu sangue que atingiu o altar, cujas marcas são visíveis ainda hoje.

Em londres, em 1981, foi encontrado um documento de 1197 que narrava o fato.

22 de jan de 2010

Milagres Eucarísticos - Orvieto - Bolsena, Itália, 1 263




Jesus tinha pedido à Beata Juliana de Cornillon a introdução da festa de "Corpus Domini" no calendário litúrgico da Igreja. O Padre Pedro de Praga, da Boêmia, celebra uma missa na cripta de Santa Cristina, em Bolsena, e então, ocorre o milagre: da hóstia consagrada caem gotas de sangue sobre o corporal...

O Papa Urbano IV, residia em Orvieto e ordena ao Bispo Giacomo levar as relíquias de Bolsena a Orvieto. O Papa emitiu a Bula Transiturus de mundo, em 11/ 08/ 1264, onde prescreveu que na quinta-feira após a oitava de Pentecostes, seja celebrada a festa em honra ao Corpo do Senhor> Santo Tomás de Aquino foi encarregado pelo Papa para compor o Ofício da celebração.

Em 1290 foi construída a catedral de Orvieto, chamada de "Lírio das Catedrais".

21 de jan de 2010

Os milagres Eucarísticos mais conhecidos - Lanciano



Em sete dias, citarei sete grandes milagres Eucarísticos. Começarei hoje pelo mais conhecido: o Milagre de Lanciano.

Este milagre aconteceu no modteiro de S. Legoziano, dos monges de São Basílio. Foi submetido à análise científica dos Doutores Odoardo  Linoli, chefe de serviço dos Hospitais Reunidos de Aresto e livre docente de anatomia e histologia patológica e de química e mocroscopia clínica; Dr. Ruggero Bertelli, professor emérito de anatomia humana normal na universidade de Sena.

Resultados - Relatório de março de 1971:

a - A carne é verdadeira carne.

b - O sangue é verdadeiro sangue.

c- A carne é do tecido muscular do coração (miocárdio, endocárdio, nervo vago)

d - A carne e o sangue são do mesmo tipo AB e pretencem à espécie humana. Este tipo de sangue foi o mesmo encontrado no Santo Sudário, de Turim.

e- Trata-se de carne e sangue de uma pessoa viva, pois que esse sangue é o mesmo que tivesse sido retirado naquele mesmo dia de um ser vivo.

f- no sangue foram encontrados, além das proteínas normais, os seuintes minerais: cloretos, fósforos, magnésio, potássio, sódio e cálcio.

g- A conservação da carne e do sangue, deixados em estado natural por 12 séculos e expostos à ação de agentes atmosféricos e biológicos, permanece um fenômeno extraordinário.

Dissreram os cientistas aos frades: "E o Verbo se fez Carne!"

18 de jan de 2010

Termos Litúrgicos que você pode não ter ouvido falar



Segue alguns termos ou objetos litúrgicos que soam meio estranhos aos nossos ouvidos: pouco ou quase nada ouvimos falar sobre eles.

Epiclese: É a invocação do Espírito Santo: O Padre estende as mãos sobre os dons e pede ao Pai que santifique as oferendas "derramando sobre elas o vosso Espírito a fim de que se tornem para nós o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso."

Prefácio: é um canto de agradecimento e louvor a Deus por toda a obra da salvação. Conclui-se com o canto do Santo.


Doxologia: Quando o Padre eleva o pão e o vinho consagrados, toda a comunidade reunida pronuncia as palavras "Por Cristo com Cristo e em Cristo... finalizando com um solene Amém.

Credência: é a mesinha onde se colocam os onbjetos que serão utilizados na celebração

Kyrie Eleison: Expressão grega que significa Senhor, piedade. Através delas os fiéis pedem a misericórdia de Deus.

13 de jan de 2010

Os Ceriferários - Como segurar os castiçais

Para quem não acompanho o início desta postagem sobre Cerimoniários clique:


Qual a maneira correta de segurar, andar, portar os castiçais:

Você pode observar na figura abaixo, a maneira correta de portar os castiçais. É tudo muito simples:
Quem está no lado diteiro, põe a mão esquerda embaixo do castiçal e com a direita segura-o no meio. Quem vai do lado esquerdo põe a mão direita embaixo do castiçal e segura-o com a mão esquerda.



Gostaria de lembrar que, quem tem função litúrgica que utilize objetos não precisa fazer reverência/ inclinações.

8 de jan de 2010

Quando se usa o incenso/ turíbulo?

turiferario

Primeiro, uma pergunta: porque usar incenso nas celebrações?

O rito da incensação exprime reverência e oração. (Pe. Luiz Miguel Duarte)

Quando deve-se usar o incenso:

  • Na procissão de entrada;
  • no início da missa, para incensar o altar e a cruz;
  • na procissão com o evangeliário e na proclamação do evangelho;
  • para incensar as oferendas, o altar, a cruz, o sacerdote presidente, os concelebrantes e o povo;
  • Na apresentação da Hóstia e do Cálice, após a consagração

O turiferário faz inclinação profunda e incensa, com três ductos, o sacerdote presidente, os sacerdotes concelebrantes e o povo. Ajoelha-se, icensa do mesmo modo a hóstia e o cálice, a cada elevação.

________________

Este ensinamento foi extraído do livro Formação para Coroinhas 2, do Pe Luiz Miguel Duarte. Clique para ter mais inforações do livro

5 de jan de 2010

Funções Litúrgicas - Os Ceriferários


Primeiro uma estorinha (não é piada rsrsrs):

O Juninho chega pro padre e pergunta:


- Ô tio, o que é que o celifelálio faz?

O Padre responde:

- O ceriferário, meu filho, é o coroinha que fica com as velas...

Explicada - da maneira mais simples possível - a função dos ceriferários, vamos expandir esse assunto com algumas orientações.

A primeira função do/ da Coroinha encarreado (a) desta função, é chegar o quanto antes à Igreja para preparar velas e castiçais: Limpá-los e lustrá-los se for o caso, pois geralmente esse trabalho compete ao sacristão ou funcionários da paróquia, o que não impede dos crooinhas ajudarem, não é?
Já vi ceriferários em apuros porque não chegaram em tempo de preparar as velas. Já vi missa atrasar por causa disso.

Na maioria das paróquias, a procissão de entrada (cortejo processional) obedece à seguinte ordem:

  • Cerimoniários
  • Turiferário e naveteiro
  • Ceriferários
  • Demais coroinhas (do menos para o maior e aos pares)
  • leitores
  • Ministros da Comunhão
  • E o Padre
Os dois cerimoniários deveram postar-se nos dois assentos mais próximos à cadeira do celebrante. Noutras paróquias pode ser diferente e já existir um lugar próprio para cada coroinha. No caso da presença de outro (s) padre (s) ou do Diácono, os Ceriferários ficam nos assentos seguintes.

É costume também que, no canto de aclamação os Ceriferários sigam até a frente do altar, façam reverência ao altar e ficam cada um num dos dois lados do ambão. Ao fim da leitura do Evangelho eles retornam aos seus lugares, sem a necessidade de uma nova reverência ao altar, ou - como é costume na minha paróquia - as velas/ os castiçais são guardados na sacristia.

Mas atenção! Se a leitura do Evangelho é feita por outro padre ou diácono que não seja o celebrabte, o leitor leverá o lecionário para que o celebrante o beije. OS Ceriferários só deverão sair do ambão quando da volta do lecionário.

Lembre-se que não é preciso fazer uma nova reverência, pois o encarregado da homilia pode vir a ser atrapalhado nesse momento, caso se dirija a frente do altar.

Vou dividir este post em dois. Amanhã falo da postura dos coroinhas com as velas/ castiçais.

Ah! Não esqueci! Amanhã ou hoje a noite ainda, vou mostrar a vocês como foi a vestiçãi dos coroinhas novatos em minha paróquia. Foram quase 40 meninos. 18 meninas no total. Não deu pra filmar, só pra tirar fotos. Vou trazer ao longo da semana dois ritos de vestição, para que futuramente você possa usar em seu grupo.

Até lá!!!

______________________

Quais outras funções você gostaria que eu falasse a respeito? Diga quaç nos comentários desta postagem.

3 de jan de 2010

Vestição de Novatos em vídeo

Voltando das festas e comemorações de fim e passagem de ano. Hoje a noite haverá a vestição de novos coroinhas, meninos e meninas do meu Grupo. 

Vou filmar, colocar o vídeo no Youtube e postar no blog pra vocês verem amanhã. 


Abração a todos (as)