26 de nov de 2009

Querido Leitor, o que você quer de mim?


{{Muitas pessoas tem comentado aqui no Portal do Acólito. A Kary que o diga, pois está em primeiro no Ranking de Comentaristas daqui}}

Ou melhor, o que você quer saber, para que eu possa te ajudar?

Deixe, nos comentários desta postagem, a sua dúvida, a sua curiosidade; pergunte algo que você queira saber sobre Liturgia, Paraliturgia, Grupos de Coroinhas, enfim, sugira-me novas postagens.

Não que me falte inspiração, pois no momento, já tenho 8 postagens prontas para serem publicadas, além de uma série de postagens que pretendo fazer em breve.

Por fim quero dar uma boa notícia:

Como foi sugerido por um de nossos leitores, o Felipe Cunha, na primeira semana de dezembro farei uma promoção de natal. Não sei ao certo o prêmio, mas já sei como você poderá participar. O que você gostaria de ganhar? Não me diga uma casa, um carro ou que quer que o seu pároco vá pro espaço... Isso eu não posso garantir. Mas sugiro modestos prêmios. Quem sabe você não ganha ele?!

24 de nov de 2009

A dança na Liturgia ou Pode dançar na missa?



A dança é uma expressão corporal bastante usada na Liturgia da Igreja africana e nas celebrações religiosas dos povos indígenas.

O Documento nº 43 da CNBB, Animação da Vida Litúrgica no Brasil, nos diz que:

"Nosso corpo, sensível e dócil ao movimento, é fonte inesgotável de expressão. Por isso, na Liturgia, tem importância os gestos, as posturas, as caminhadas a dança"

Este mesmo documento ressalta a dança litúrgica na procissão de entrada.

Entretanto, precisamos ter o cuidado para que a dança na liturgia seja de fato uma dança litúrgica, ou seja, que realmente esteja a serviço dela e que leve os fiéis ao encontro com Deus e com os irmãos. Ela deve favorecer a oração do povo de Deus reunido, ajudando-o a celebrar melhor.

Resumindo:

Pode dançar na missa?

Pode sim, desde que a dança, sirva a liturgia e ajude os fiéis ao encontro com Deus e com a comunidade reunida.

23 de nov de 2009

Equipes de Serviços dentro do Grupo de Coroinhas


De forma bem prática, quero repassar um pouco da experiência que tive como coordenador através de um item que muito me ajudou neste tempo: trabalho em equipe.

A primeira coisa que devemos ter em mente é que não devemos trabalhar sozinhos. Somos um Grupo. Pensando assim, que tal dividir as tarefas?

Mas antes de sugerir algumas equipes de trabalhos e de serviços, quero deixar bem claro que:
  • Quando falo em dividir tarefas, não estou me referindo a separação  de pessoas e consequentemente do Grupo. Estou me referindo a divisão para organização. Portanto a coordenação do Grupo deverá ter um cuidado todo especial para que as equipes não se transformem em  verdadeiras "panelinhas".
  • É interessante que haja um revezamento de tempos em tempos dos membros das equipes.
Equipes de serviços e trabalho:

Equipe de serviço:  Cuida da limpeza, organização e ornamentação do local do encontro/ reunião, deixando-o agradável à presença dos membros.

Equipe de Acolhida: recebe sempre com muita alegria e de formas variadas os participantes do encontro.

Equipe de Espiritualidade (ou de oração): fica encarregados momentos de oração (inicial, final e outros) que sempre devem estar presentes em cada atividade do grupo.

Equipe dinamizadora: é a que trás animação  ao encontro, através de jogos e dinâmicas.

Equipe de formação: Procurará pessoas e assuntos para colaborar com a formação contínua dos coroinhas. Prepara os encontros, o tema, a (as) pessoa (s) que participará (ão) da formação dos demais membros.

Outras equipes vão surgindo no decorrer da caminhada.

_________


Na próxima postagem, iniciarei a preparação para o advento, com orientações litúrgicas e dicas práticas para melhor celebrarmos este Tempo Litúrgico.

20 de nov de 2009

5 itens indispensáveis ao seu Grupo




Formação: Ninguém sai por aí dirigindo um carro sem saber. Muito menos amamos o que não conhecemos. Para que alguém seja um bom coroinha/ acólito, é preciso antes ter conhecimento do que fazer,quando e como fazer. A formação, o aprendizado constante é essencial a qualquer coroinha. E não existe essa mania de dizer "eu já sei tudo!". Devemos estar em constante aprendizado. Realize sempre uma ou duas vezes no mês encontros de formação, estudo em seu Grupo. Mas atenção! Não transforme o seu Grupo numa escola de Coroinhas.

Espiritualidade: Já ouviu dizer que "saco vazio não para em pé"? A mesma coisa acontece com a nossa fé: se esquecermos de alimentá-la através da oração ele se enfraquecerá, por mais que digamos que não, isto acontece, sem ao menos percebermos. A oração é importante dentro do grupo de Coroinhas. Mas aqui vai um importante alerta: não transforme o Grupo de Coroinhas/ Acólitos num grupo de oração ou coisa parecida. Jamais confunda a espiritualidade do ministério de acólitos/ Coroinhas com outros carismas. E principalmente saiba dosar a oração com a prática (ORAR + AÇÃO).

Vida de Grupo: Neste item pretendo conscientizá-los a fazerem com que o Grupo se torne uma verdadeira família ou verdadeiro grupo de amigos. Como isto é possível? Através de contatos extra-grupo, fora das reuniões e demais encontros. Combinem um passeio, um almoço ou filme na casa de algum coroinha, usem a criatividade para melhorar os laços de amizade entre vocês.

Discrição: Coroinha espalhafatoso demais não chega a lugar nenhum. Principalmente durante as celebrações. A discrição é sempre a marca de um bom acólito: este sabe a hora de entrar e de sair de cena, mas principalmente, como já disse noutra postagem, ele nunca aparece em filmagens. 
"Que Ele cresça e eu diminua" 
"A nós o trabalho, a Jesus o sucesso"
Comportamento: Sabemos que esse é um dos itens que mais preocupam os párocos e os coordenadores. Mas com um jeitinho todo especial, com muita paciência, podemos fazer com que os membros se tornem autênticos coroinhas. Mas vai uma dica importantíssima:

"Conversa franca faz bons amigos"
Converse abertamente com aquele (s) coroinhas que estão em falta com este item. Diga o que o Grupo espera dele e o que ele pode esperar da coordenação para melhorar o seu comportamento e o seu aprendizado. Firme compromissos, acordos.

No próximo post, trarei mais itens importantes que devem ser priorizados em nossos grupos. Até Lá, e não esqueça de dar a sua opinião nos comentários.

17 de nov de 2009

A importância do Corpo na celebração




O corpo é fonte inesgotável de comunicação. Sua linguagem é muda, mas fala mais do que a própria voz. Com ele manifestamos e protestamos. Depende das posturas que vamos assumindo no nosso ato de comunicar. Nosso corpo é o nosso único instrumento celebrativo. Ele, "sensível e dócil ao movimento, é uma fonte inesgotável de expressão. Por isso, na Liturgia tem importância os gestos, as posturas, as caminhadas e a dança.


Tem influência notória na assembleia celebrante a atuação do coroinha, com seus gestos e posturas, como o estar sentado, de pé, mãos postas, etc. Estes gestos, quando bem feitos, manifestam a nobreza do serviço do Acólito/ Coroinha. Eles feitos com autenticidade deveriam manifestar e transparecer a sinceridade por parte de quem os faz."


É necessário que se observe uma postura autêntica, nobre em todos os gestos e posturas: o coroinha precisa ser um modelo-testemunho para a assembleia, nas orações e respostas.


Os gestos e posturas do coroinha devem falar da alma de quem está na celebração para muito contribuir em seu bom andamento, e revelam a profunda espiritualidade de quem os faz e sua íntima comunhão com Deus em Jesus Cristo.


Gestos apressados, desconectados e inexpressivos revelam todo o desleixo espiritual, o descompromisso, desrespeito com a assembleia e a falta de íntima comunhão com o mistério que se celebra.

12 de nov de 2009

Forme um Grupo de Cerimoniários em sua paróquia

grupo

Esta dica, claro, vai para os grupos que ainda desconhecem esta sugestão.
Você pode criar em seu Grupo uma equipe ou subgrupo de cerimoniários. Uma equipe de até 8 meninos e/ ou meninas, que estarão encarregados apenas (apenas mesmo!) da função de cerimoniário nas missas, especialmente as solenes.
Logicamente estes meninos e meninas que ficarem encarregados desta função poderão colaborar na formação dos demais coroinhas.
Este Grupo não será um outro Grupo de Coroinhas/ Acólitos dentro da paróquia. Mas uma equipe que se esforçará para estudar afundo a Liturgia, as formas de celebrações, enfim, o que estiver ligado à Liturgia, a fim de “ajudar” na Liturgia da melhor forma possível.


A primeira coisa a fazer para fundar este Grupo em sua paróquia é conversar com o seu pároco. Mostre a ele a importância desta equipe para a Liturgia da paróquia.
O segundo passo a tomar é marcar encontros frequentes – ao menos semanais – de formação Litúrgica. Para isso é preciso já ter em mente quem serão os membros deste grupo. Vocês poderão escolher de diversas formas: seleção, feita através de testes para se conhecer o que cada membro entende sobre liturgia; sorteio; e outras formas.


Como última sugestão, que tal que os membros deste grupo revezem com outros membros do grupo para não criar rivalidades que causariam a separação dos membros?


Pense com carinho e, acima de tudo, esteja em comunhão com seu pároco e a equipe de Liturgia da sua paróquia.

9 de nov de 2009

Comente e apareça no "Quem mais comenta aqui"



Comentando aqui no Portal do Acólito/ Coroinha, você poderá estar na lista dos 10 maiores comentaristas deste Blog. Veja na barra lateral a lista com os 10 primeiros e o número (entre parenteses) de comentários feitos.

Deixe seu comentário através do formulário que existe abaixo de cada artigo. Expresse a sua opinião, concorde, discorde, amplie a discussão, enfim, comente, opine.


7 de nov de 2009

Coroinhas: Pastoral ou Ministério?

pastoralouministerio

Antes de fazer qualquer comentário sobre o assunto, transcrevo (com os devidos créditos) o que alguns membros da nossa Rede Social falaram a respeito:

 

O Felipe Silva do Nascimento, escreveu:

Francisco, infelizmente aquele documento sobre os ministérios da CNBB, não consta os Coroinhas, nem Acólitos. Tem até a Pastoral da maturidade.

Mas eclesialmente falando, os Coroinhas não são uma simples pastoral como as outras.


Nós viemos da Tradição da Igreja, desde o ano 313 quando os Pueri Cantores começaram a atuar em Roma nas Celebrações Pontifícias e em toda a Igreja, temos São Tarcísio como primeiro Acólito-mártir, assassinado em 257. Os "meninos do coro" também eram chamados para exercer funções na Liturgia como ajudar os acólitos ou substituí-los quando estes não estavam presentes.


Eu não quero desmerecer nenhuma pastoral ou ministério, mas históricamente falando nós não nascemos no Concílio Vaticano II, nós não somos os ministros extraodinários da comunhão, nós desempenhamos funções distintas dos Mec's e do Ministério de Música. E sabem porque nós não estamos na lista dos 42 ministérios? Porque o Acólito instituído pelo Bispo é uma ordem menor da Igreja entre o Clero e os Leigos. Ou seja, Não se enquadram nem no sacramento da Ordem, nem nos Ministérios extraordinários ou confiados. E os coroinhas ficam na "lanterna" dos ministérios extraordinários.

Já o Emanuel Jr, opinou:

Muitos falam em ministros de música, ministros da palavra, ministério de acólitos.
Na verdade temos apenas dois tipos de ministérios e é aqui que discordo um pouco da resposta do Felipe. Temos o seguinte:


-Ministérios ordenados: diaconato, presbiterato e episcopado.
-Ministérios instituídos: acolitato, leitorado e extraordinário da Sagrada Comunhão.


Portanto, aquela história de chamar banda, coro, equipe, o que for de ministério está errado. Ministério designa uma função OFICIALMENTE delegada pela autoridade da Igreja mediante um rito litúrgico de ordenação (que é sacramento) ou instituição (acólitos).


É preciso verificar que nem todo aquele que é acólito (coroinha) em uma Missa, ou que faz uma leitura, ou canta, é, necessariamente, um ministro, dado que podem exercer tais tarefas de modo eventual, e sem ter sido investido mediante um rito litúrgico. Eu, por exemplo, de vez enquando faço leituras e acolito, mas não sou canonicamente nem leitor nem acólito. Portanto, não sou ministro.


Quanto as pastorais elas surgem e morrem dia após dia. Em determinadas Dioceses existem em outras nem se cogita. Não necessariamente é preciso que estejam entre as elencadas pela CNBB. Muitas por lá sequer existem na maioria das Dioceses do Brasil, por outro lado, é preciso ver o tipo de trabalho e como funciona determinado grupo para afirmar que se ele é uma pastoral, grupo ou seja lá o que for.

___________________

Aqui quis expressar as duas visões que concordo plenamente e que devem ser vistas em conjunto para se ter uma ideia geral. Procurarei o Bispo da minha Diocese, farei uma entrevista com ele e trará resposta em algumas semanas. Mas, desde já, gostaria de ouvir a sua opinião nos comentários desta postagem.

 

Acesse esta discussão em nossa Rede de amigos e dê a sua opinião, <<clicando aqui>>

5 de nov de 2009

Essa mania de não pararmos quietos…

hiperativo

Se existe algo que mais me irrita durante as missas e demais celebrações são coroinhas/ acólitos que não conseguem ficar quietos: conversam, mexem pra cá, mexem pra lá; ficam rindo demais, conversam com pessoas da assembleia, etc., etc.

Missa é momento de concentração, ainda mais para aqueles e aquelas que estão encarregados de muito contribuir para o seu andamento.

Já falei aqui no blog sobre a principal dica que dou a qualquer coroinhas e vale muito a pena você ler (ou reler, se for o caso):

“Faça sempre apenas a sua função”

 

Existem coroinhas que mesmo não sendo cerimoniários naquele momento, atuam como se o fosse. Sei que algumas vezes o menino ou a menina está preocupado com a celebração, com o seu bom andamento, mas se existe o cerimoniário deixemos ele, e tão somente ele, desempenhar esta função. Em algum momento você poderá intervir caso ele não esteja tão atento, mas cada um deve fazer a sua função. E isto basta.

E se em dada celebração eu não tenho nenhuma função específica?

Dê o exemplo para a assembleia, participando atenta e animadamente  da celebração.

E jamais saia do presbitério sem a devida necessidade. Aqui em minha paróquia existem as mais variadas desculpas para se ausentar: dor aqui, dor ali; calor, frio demais. Tem até aqueles que dizem: “Vou espirrar!”

Com essa me despeço por agora.

_______

Faça parte da nossa Rede de Amigos:

www.coroinhas.ning.com

4 de nov de 2009

100 artigos, 100 dúvidas litúrgicas: começarei amanhã



A partir de amanhã iniciarei uma nova série de postagens, sem esquecer as outras. Tirarei dois ou três dias na semana para tirar suas dúvidas sobre liturgia e tudo que esteja relacionado a nós Coroinhas/ Acólitos e também sobre os nossos Grupos. Portanto espero sempre a sua dúvida. Comente este artigo deixando a sua dúvida que buscarei respondê-la. E aí? O que você quer saber? Qual a sua dúvida?

Começarei amanhã!

3 de nov de 2009

Você não se enganou: este é o Portal do Acólito sim!



Com algumas mudanças!
Quer dizer, com muitas mudanças.

Como tinha prometido, o objetivo principal desta mudança foi a interação com você, leitor/ leitora. No outro template, o link para os comentários e para postar comentários ficava muito escondido, quase imperceptível.

Agora não. Ao abrir uma postagem, o formulário de comentários já vem abaixo incorporado à postagem. Então vamos lá: COMENTE! Expresse a sua opinião, abra a discussão, concorde, discorde, amplie o assunto, acrescente novas ideias. Faça tudo isso através dos comentários.

Outras mudanças:

  • Postagem mais atual com destaque (resumo maior, fundo em lilás e imagem maior)
  • Uma sidebar (barra lateral apenas)
  • Melhorias na ferramenta de pesquisa do blog
  • Postagem automaticamente resumidos com miniaturas da imagem utilizada
Ainda tem uma novidade que ainda estou estudando para decidir se coloco ou não.

Por fim tenho que dar os devidos créditos e parabéns a Ariane, a idealizadora deste template:




Então me diz: o que você achou deste novo template?

Mudanças no layout do Blog no fim da noite de hoje


 {{das 22h30 ás 00h00 de hoje}}

A partir das 22h30 (23h30 horário de Brasília) estarei fazendo mudança de template do [Blog] Portal do Acólito. Peço a compreensão de todos e desde já explico o principal motivo:

estou realizando esta mudança para tornar mais acessível, visível e fácil a opção de comentar as postagens deste blog. Graças a você leitor, as nossas estatísticas tem aumentado bastante: número de visitantes, número de leitores fiéis, seguidores, enfim... Entretanto os comentários continuam na mesma.

Mas porquê comentar?

Os comentários são uma forma de opiniar sobre o assunto que está sendo falado, quer seja concordando, quer seja discordando ou ampliando o assunto. De forma bem simples é uma forma de não deixar o blogueiro (aquele (a) que escreve os artigos) falando sozinho.

Desde já agradeço a sua compreensão e espero a sua visita depois das duas horas (mais ou menos) de mudanças que farei.