28 de out de 2009

Funções Litúrgicas – O Cruciferário

042607-0034-deusmelivre13

Sei que você já sabe que o cruciferário é o coroinha encarregado da cruz nas procissões e cortejos processionais (procissão de entrada, por exemplo).

Vamos falar dessa função que geralmente é realizada em tão pouco tempo, mas que não deixa de ser importante por isso.

Qual é mesmo a função do cruciferário?

O cruciferário é a primeira pessoa numa procissão de entrada, exceto quando o turíbulo será utilizado. Sem a presença do turiferário e do naveteiro, ele é quem “dá o passo” o ritmo da procissão. Entratanto algumas coisas precisam ser observadas:

Ao término da procissão de entrada, se já existe um crucifuxo sobre o altar, não se faz necessária a presença de outra cruz no presbitério. Portanto o cruciferário deverá recolher a cruz para a sacristia, sema a necessidade de subir ao presbitério e esperar a saudação do celebrante ao altar.

Outro fato importante é que nenhum coroinha com função – incluindo aqui o cruciferário – NÂO deve fazer nenhuma inclinação como reverência ao altar. Apenas aproxima-se dele e prosegue ao seu lugar.

123612

E jamais, repetindo: jamais faça o que aconteceu dia desses no grupo ao qual faço parte:

Um dos cerimoniários deu um sinal para um coroinha novato guardar a cruz na sacristia. Ele apenas apontou em direção à porta da sacristia. Eu estava na assembléia observando, quando o coroinha entendeu que era pra deixar a cruz ali, emqualquer lugar. então colocou-a na porta da sacristia, de modo que toda a assembléia viu onde a cruz tinha sido, desleixadamente, colocada. Fui lá e guardei a cruz.

Numa procissão, caso seja longa, não só o cruciferário como também outras funções podem ser revezadas.

Bom, é isso. Se tiver mais coisas que você queira acrescentar, utilize os comentários deste post.

26 de out de 2009

Um conselho: tire o seu grupo da mesmice!

rotina1
Há alguns dias, iniciei uma série de postagens aqui no [Blog] Portal do Acólito sobre grupos que estão com dificuldades que o levam, pouco a pouco, ao seu fim. Veja os posts abaixo:

Hoje falarei sobre algo que muitos grupos estão meio que submersos nela, que é a mesmice. Mas o que seria a mesmice?
Seria fazer a mesma coisa sempre, uma rotina de tarefas, por exemplo. No caso de Grupos de Coroinhas, a mesmice é facilmente percebida nas reuniões, geralmente chatas, com os mesmos assuntos ou as mesmas formas e métodos de se trabalhar determinado tema.
Toda reunião começa com a mesma coisa, termina com os mesmos atos; no decorrer da reunião acontecem coisas muitos parecidas com as reuniões anteriores. Isso é mesmice.
Coordenador, vamos tirar seu grupo da mesmice?
Vai aqui algumas dicas:
Primeiro que tudo, vamos fazer um exercício: com o auxílio de papel e caneta, anote diversos lugares que os coroinhas do seu grupo poderiam frequentar; anote também algumas atividades que vocês poderiam fazer fora da sala de reuniões de vocês.
Como segunda parte vá dando prioridade às coisas mais simples e mais fácil de serem realizadas, mas não menos atraentes que as demais. E vá priorizando até encerrar sua lista. Na próxima reunião da coordenação vocês decidirão uma forma de realizar tal atividade (passeio, visita, retiro, etc.)
Vou dar exemplo de algumas atividades formais e informais: as formais estão ligadas a formação contínua dos acólitos e as informais são aqueles que o grupo de coroinhas realizará não como um grupo apenas, mas como uma turma de amigos:
Atividades Formais:

  • Retiro, dia ou manhã de espiritualidade;


  • Um encontro na casa de um membro do Grupo;


  • Tríduo ou novena do padroeiro do Grupo;


  • Visita a um hospital, albergue, orfanato, etc;


  • Visita a outro grupo

Atividades Informais:

  • Passeio a praia ou a um clube (balneário);


  • Uma ida ao teatro ou ao cinema;


  • Um dia de lazer;


  • Um cineminha na casa de um dos membros ou noutro local (na sala de reuniões da paróquia;

Com certeza se você fez o exercicio deste post, você pensou em muitas outras coisas. Agora é hora de tirá-las do papel e passar à prática. Mãos a obra!

24 de out de 2009

Os Sete perigos para o seu Grupo:

perigo
Existem sete grandes perigos para qualquer grupo de Coroinhas, que temos que estar alertas e tomar cuidado:
1-COMPLACÊNCIA: Acontece em grupos que existem pessoas que pensam assim: “Há 10 anos temos feito tudo assim e temos feito um bom trabalho, portanto devemos continuar assim”. Pode mos sempre nos orgulhar do nosso trabalho pastoral no passado, mas isso não nos leva à lugar nenhum. Com certeza em seu grupo, há hoje, muito mais a ser feito do que houve em qualquer outra época e o máximo que o passado pode fazer por nós é nos inspirar para um esforço maior.
2- CENTRALIZAÇÃO: Encontros com outros grupos, retiros demais, festinhas, participação dos coroinhas nas comunidades são muito bons, mas quando muito frequentes podem ser desastrosos. Devemos oferecer o maior tempo possível da coordenação trabalhar com os coroinhas e não juntá-los em grandes massas para um grande espetáculo. Às vezes existem tantas atividades organizadas pela paróquia ou pelo grupo mesmo, que praticamente não sobra tempo para se formar os coroinhas.
3- SUPER ADMINISTRAÇÃO: e não suficiente formação pastoral. Retratei isto bem no post que fiz ontem: “Não burocratize seu Grupo.” Vamos fazer um pequeno exercício: dê uma olhada em todos os planejamentos, ofícios, papelada de secretário do grupo e veja se o que o seu grupo está gastando (não falo aqui do aspecto financeiro) com papelada e administração está em equilíbrio com o que é empregado na formação contínua dos coroinhas. Ambas as coisas são necessárias, mas devem ser mantidas em equilíbrio.
4- SERIEDADE DEMAIS: Ser Coroinha é algo muito sério, contudo, uma das coisas importantes também deve ser a alegria de participar de um grupo de coroinhas, tanto para a coordenação como para os demais membros. Jamais, digo jamais, queira burocratizar seu grupo, enchendo de regulamentos exagerados…
5- EXCLUSIVIDADE: Achar que só quem pode colaborar no crescimento do grupo devem ser pessoas de dentro do grupo ou antigos coroinhas. Penso que necessitamos de gente de fora, de pessoas com outras experiências e outras realidades, pessoas de bem que tragam o sangue novo para o grupo.
6- AUSTERIDADE DEMASIADA: Não podemos converter o grupo como apenas um espaço para os bons, em vez de acolher aquele ou aquela moça que muito pode oferecer em aprendizado e testemunho. Abra o seu grupo para outras pessoas.
7- TRABALHAR PARA FAZER SUPER COROINHAS: Devemos ter consciência, quando falamos em formação contínua de coroinhas, que não podemos fazer deste espaço – o grupo – uma segunda escola para o membro do grupo. Mais que um local de aprendizado das “coisas de Deus”, o Grupo de Coroinhas é um espaço de vivência da fé, que se dá não só na reunião ou somente na Igreja. Outras atividades podem ser desenvolvidas para transformar os coroinhas em pessoas de bem, conhecedoras do projeto de Deus.
Até a próxima!

23 de out de 2009

Não burocratize seu Grupo!



Há dias venho pensando no assunto. No meu primeiro ano como coordenador do meu grupo eu queria regulamentá-lo onde pudesse. Queria criar normas, regulamentos... até um estatuto. Pra quê? Organização, cuidado, precaução, sempre é bom, entretanto, "tudo que é demais é veneno".

O que é burocracia?

Burocracia é um conceito administrativo amplamente usado, caracterizado principalmente por um sistema hierárquico, com alta divisão de responsabilidade, onde seus membros executam invariavelmente regras e procedimentos padrões, como engrenagens de uma máquina. É também usado com sentido pejorativo, significando uma administração com muitas divisões, regras e procedimentos redundantes, desnecessárias ao funcionamento do sistema.

Estou escrevendo este post especialmente para você coordenador, coordenadora. Para cada membro de coordenação/ diretoria de um grupo de Coroinhas. Quero deixar um grande conselho: Não torne seu grupo uma chatice. É isso que acontecerá se você quiser criar regulamentações demais, organização demasiadamente exagerada (se isso é possível.).

Mas também digo que não pra deixar a coisa correr solta, coroinhas fazendo o que querem, participando quando bem deseja. Não!

Haja o mais naturalmente possível, equilibrando o que você quer fazer, com o que é preciso ser feito. Nem sempre o que queremos é necessário ser posto em prática. Algumas vezes queremos oficializar que se um coroinha faltar determinado número de vezes, ele estará sumariamente expulso do grupo. Porque não saber os motivos da falta de interesse, que pode nem ser isso, mas um problema maior.

A dica aqui é: saber interpretar as situações cotidianas do grupo, não burocratizando a participação dos membros, não tornando o ministério de coroinhas/ Acólitos numa espécie de obrigação.

Até nosso próximo encontro, amanhã.

20 de out de 2009

O que é Paraliturgia?

Coração de Jesus

Como coroinhas, em determinadas ocasiões você ouvirá falar de paraliturgia. É a oração da comunidade reunida para se motivar melhor para alguma festa ou algum acontecimento. É fortemente baseada na Palavra de Deus, contida na Bíblia..

É formada de orações, leituras bíblicas e exortações a comunidade. Nas capelas, onde nem semore o sacerdote ou o vigário pode comparecer, a paraliturgia é de grande necessidade.

Poderá abordar os mais diversos temas:

  • Vocações
  • Eucaristia
  • Trabalho
  • Colheitas
  • A Palavra de Deus, etc.

Exemplos de paraliturgia:

  • Coroações
  • Renovações
  • Encontros bíblicos, etc.

19 de out de 2009

Livros de Formação para Coroinhas - Leitura Online

123245
Você pode ler, mesmo que parcialmente, alguns livros de formação para coroinhas através da internet. Clique na imagem do livro abaixo e boa leitura.

 
Cada dia um livro, aguarde o próximo!!!

17 de out de 2009

Domingo – o Dia do Senhor!

diadosenhor

A palavra Domingo significa “Dia do Senhor”. É o dia que nós cristãos dedicamos a Jesus, por ser o dia em que Ele ressuscitou (domingo da ressurreição que, no início do cristianismo foi escolhido para que os cristãos se encontrassem para celebrar a ceia).

Assim com Jesus fez na última ceia e pediu que fizessemos também, os cristãos se reuniam em suas casas para rezar e partir o pão.

Você deve estar dizendo: “Do mesmo jeito que fazemos hoje, na missa!”

É isso mesmo!

Nós continuamos a nos encontrar aos domingos, fazendo o mesm oque os primeiros cristãos. A missa do domingo é diferente das demais missas da semana: é dia alegre e festivo, em que toda a comunidade deve estar reunida.

O Ano Litúrgico é justamente a Soma dos 52 domingos que constituem um ano e que estão divididos, segundo a Igreja, em quatro grupos relacionados entre si:

    • Celebração dos mistérios do Senhor (Páscoa, Ascensão, etc.)
    • Tempos fortes de preparação e vivência dos mistérios: domingos do Advento e do Natal; Quaresma e Tempos Pascal.
    • solenidade da Mãe de Deus e dos santos.
    • Domingos do tempo Comum, que são 34.

Cada domingo tem por característica a Palavra de Dues. Existe um livro chamado Lecionário Dominical, onde encontram-se as leituras para todos os domingos.

_____________

Na próxima postagem falarei da organização dos evangelhos a serem proclamados em cada domingo. Até lá!!!

Faça parte da nossa Rede Social, clique aqui.

12 de out de 2009

FAQ – Perguntas Frequëntes

Miser Web

Sempre que alguma dúvida for reportada a mim, seja em nossa Rede Social ou or email ou comentários aqui no Blog eu atualizarei esta lista.

Deixe sua dúvida preferencialmente nos comentários desta postagem

1 – Quem é o Coroinha?

Clique aqui e leia nosso post de mesmo nome.

2- O que é preciso para ser coroinha?

Para ser coroinha/ acólito você necessita cumprir algumas reponsabilidades cotidianamente. Clique aqui e leia as responsabilidades do Coroinha.

3- Quem é o autor deste blog e quais seus objetivos?

Leia o post sobre Mim e o Blog

4- O que é Liturgia?

Leia este post: O que é Liturgia? E celebrações Litúrgicas?

5- Este Blog aceita parceria?

Aceitamos sim. Clique aqui e saiba como proceder.

6- Como fazer meu Grupo Crescer?

Clicar aqui será o primeiro passo

7- Como preparar um retiro para o meu grupo?

Leia os posts que seguem:

8- Há como conciliar meninos e meninas num mesmo grupo?

Tem sim. Primeiro você deve saber que meninas podem sim ser coroinhas e que preconcceito é crime previsto em lei. Para saber como conciliar meninos e meninas, rapazes e moças num mesmo grupo, clique aqui e leia um post sobre o assunto.

9- Como era a Liturgia no tempo da minha avó?

Saiba como no post “A Liturgia antes do Vaticano II”

10- É verdade que Jesus Cristo existiu?

Claro que sim! Clique aqui para saber mais.

11- Vamos receber novos coroinhas em nosso grupo. Como prepará-los?

12 – Como eu posto um comentário neste blog?

Eu expliquei direitinho, é só clicar aqui.

Existe idade certa para ser coroinha?

crianca-2
Feliz dia das crianças para os (as) coroinhas que o são.
Este dia me fez pensar na pergunta que intitula este post: “Existe um limite de idade para ser coroinha?”.
Começo dizendo que desconheço algum documento que normatize uma idade para ser coroinha. Tanto uma idade para ser quanto idade para deixar de desempenhar suas funções de coroinha.
Primeiro que tudo,  vamos deixar bem claro que “uma vez coroinha, sempre coroinha”, ou seja, você pode deixar de desempenhar as suas funções, mas nunca deixará de ser um.
Tentando responder a pergunta, diria que o que rege este assunto é o bom senso. Para se tornar membro de um grupo, sugiro que a criança tenha já feito a primeira comunhão, pois, já estando iniciada na fé cristã torna o trabalho de sua formação mais rápido e mais fácil.
Mas em que idade o rapaz ou a moça deve deixar suas atividades?
Como disse acima, quem manda é o bom senso. Devem existir sempre no grupo pessoas adultas ou jovens experientes para coordenar os demais. Entretanto penso que um grupo cheio de “marmanjos” e “coroas” é um pouquinho (só um pouquinho) estranho. Que os grupos façam de tempos em tempos e sempre que precisar, a acolhida de novos membros com a faixa-etária a partir dos que já comungaram pela primeira vez.
Pra finalizar, como eu falei que desconheço uma norma para este assunto, que fique a critério do bom senso e da decisão da coordenação do grupo sempre em conjunto com o pároco.
Shalom!

10 de out de 2009

O Significado das posições e gestos de uma celebração

jesusora
I) Em pé: Indica prontidão em seguir Jesus. Também exprime respeito e consideração a pessoa que fala. Em que momentos de uma missa ficamos em pé?
  • do início do canto de entrada, durante o cortejo processional, até a oração do dia;
  • Durante o canto de aclamação ao evangelho e durante sua proclamação;
  • durante a proofissão de fé (credo) e oração universal;
  • da oração sobre as oferendas até o final da missa, exceto nos momentos que citaremos adiante.
II) Sentado: posição mais cômoda para escutarmos as leituras e a homilia. Durante a procissão das ofertas, após a comunhão e durante os avisos, permanecemos sentados. Em momentos que se façam necessários o celebrante ou o comentarista avisam.

III) De Joelhos: Exprime adoração. Muito usual durante a narração do memorial da ceia.

IV) Inclinado: sinal de respeitoe de adoração. Os coroinhas inclinam a cabeça quando o sacerdote beija o altar, no início e no término da celebração.

V) Caminhando: as procissões de entrada, do evangelho, das ofertas e da comunhão, simbolizam nossa caminhada em direção a Deus.

VI) Mãos dadas: Sinal de unidade e de solidariedade

6 de out de 2009

Pessoas que participam da celebração

missa2

Muitas pessoas participam ativamente da realização da missa. São elas:

a) Ministros para a acolhida: são pessoas encarregadas de acolher os fiéis nas portas da igreja. Para acolher é necessário estar um bom tempo antes ao local da celbração. Ainda não existe este ministério em sua comunidade? Qua tal criá-lo? Junte seus amigos e converse com seu pároco. ;-)

b) Ministros para a comunhão eucarística: ajudam o presidente da celebração na distribuição da eucaristia às pessoas. Também levam a eucaristia (viático) a doentes, idosos e presidiários, impossibilitados de ir a igreja.

c) Comentarista: Pessoas devidamente preparada, que estimule os presentes a bem participarem da celebração.

d) Leitores:  Proclamam as leituras ndurante a celebração. Devem estar bem preparadas, rezando em asa a leitura que fará.

e) Cantores:  Dão vida à celebração através dos cantos apropriados aos diversos momentos da celbração. Chamo a atenção dos leitores para estarem em constante sintonia com a equipe de liturgia.

f) Os Fiéis:  o povo de Deus, chamado por Ele, se transforma na grande assembleia de batizados, o Corpo de Cristo.

g) Acólitos: Isso mesmo, nós Acólitos/ Coroinhas, que também temos importante papel no desenrolar da celebração. quer saber mais sobre o Acólito? Continue visitanto e lendo este blog.