30 de mar de 2009

Recursos para se realizar um retiro:


Ao se desejar realizar um retiro, faz-se necessário pensar nos recursos, mesmo que o retiro seja na Igreja ou seja de 1, 2 ou quantos dias forem.

Mas que recursos são esses?

Certamente você pensou no financeiro (dinheiro). Você está certo, mas além do financeiro, existem os recursos materiais e humanos. Vou dividir este artigo em dois: este de hoje, onde vamos compreender os recursos e, amanhã, darei ideias de como, onde e quando conseguir cada um dos recursos.

Então mãos à obra!

Recursos Financeiros: Os recursos financeiros cobrem os gastos para o planejamento e a execução do retiro. Caso o local onde acontecerá o retiro seja afastado, que sendo assim necessite de transporte, muito provavelmente o grupo precisará contratar um veículo (microônibus, ônibus...) Também a ida e vinda de formadores, cozinheiras, pais, etc. precisará de transporte no qual o grupo pode não ter como consegui-lo, o que resultará em gastos para a locação. Outros gastos financeiros: alimentação, material de secretaria, material de dinâmicas e orações, material de limpeza, etc.

Recursos Materiais: Alguns objetos que enquadrei como possíveis gastos financeiros, são recursos materiais: objetos e materiais de dinâmicas, orações, avaliações, murais de recados, material de limpeza. Outros que não citei também se encaixam aqui: cadeiras, mesas, microfones e caixas de som, livros, folhetos de cantos, panelas, talheres, pratos e tantos outros. Recursos materiais são objetos que muitas das vezes o grupo não precisará gastar dinheiro para adquirí-los, pois o Grupo ou os coroinhas podem já possuí-los.

 

Recursos Humanos: O próprio nome já diz: são pessoas que, direta ou indiretamente, colaboram com o planejamento, execução ou avaliação do retiro (em em todo o processo). 
Quem são essas pessoas e que funções podem desempenhar?

Além dos Coroinhas e coordenadores, o pároco, os pais, ex-coroinhas, seminaristas, leigos de outras pastorais e movimentos, podem ajudar no retiro. Elas podem ter diversas aptidões que podem ser aproveitadas no retiro: cozinheiras, motorista, formador, espiritualizador, dinamizador, e muitas outras funções.

Então hoje ficamos por aqui. Amanhã vamos falar de como, onde e quando conseguir os recursos dos quais até aqui tratamos. Espero ver a sua participação através dos comentários. Até lá!

28 de mar de 2009

Quaresma: aspectos simbólicos e pastorais


Já vimos o que significa quaresma, qual a sua duração e suas principais características. Não leu ou não lembra? Então leia:


Agora vamos tratar de aspectos simbólicos e pastorais do tempo quaresmal.


  • Cor roxa: tem o sentido penitencial. No entanto, no 4º domingo por ser o domingo da alegria, a cor rosa pode ser usada.
  • Imposição das cinzas: Na Bíblia e na maioria das religiões antigas, as cinzas simbolizam a insignificância humana. Diante de Deus, o ser humano deve se reconhecer como fraco e pecador (o que de fato sabemos que acontece). Por isso, a liturgia das cinzas, na quarta-feira, lembra aos fiéis sua condição de criaturas pecadoras e a necessidade de conversão.
  • Celebração Penitencial: a comunidade reúne-se para ouvir a Palavra de Deus, que convida à conversão e anuncia a nossa libertação do pecado pela morte e ressurreição de Cristo. O Ritual da Penitência sugere dois esquemas de celebração penitencial adequados ao tempo da Quaresma.
  • Sacramento da Reconciliação: Além das celebrações penitenciais, nem sempre acompanhadas do sacramento da reconciliação, a Igreja incentiva a prática da confissão sacramental. É ocasião favorável para o discípulo de Cristo voltar-se para Deus. Esta conversão interior, que compreende o arrependimento do pecado e o propósito de uma vida nova, expressa-se "pela confissão feita á Igreja, pela necessária satisfação e pela mudança de vida (Ritual da penitencia. n. 6).
  • Jejum: o jejum é prescrito para a quarta-feira de cinzas. Nos outros dias, cada pessoa pode oferecer a Deus, com a inspiração do Espírito Santo, a penitência que se impõe. Entretanto, os atos exteriores (jejuar, por exemplo) devem ter íntima relação com a conversão interior. Seria inútil a pessoa abster-se de alimento, e não se empenhar para melhorar seu relacionamento com Deus e com o próximo.
  • Oração: os cristãos são convidados a intensificar a oração pessoal e comunitária, como expressões de intimidade com Deus e desejo profundo e realizar a Sua vontade.
  • Prática da caridade: Os fiéis são incentivados, pelas diversas orações, à prática da justiça e do amor fraterno. o 3º prefácio da Quaresma convida-nos a quebrar nosso orgulho e imitar a misericórdia de Deus, repartindo o pão com os necessitados.
Este artigo continua amanhã, Até lá!!!

Está gostando do Portal do Acólito/ Coroinha?
Divulgue-o entre seus amigos!

25 de mar de 2009

Pensando no Retiro - Parte 2

Vamos dar continuidade ao que conversamos ontem:

6.    Em caso de grupo que possui meninos e meninas, o retiro será junto ou separado por sexo? Em caso de não ser separado, que medidas serão tomadas para se evitar certas eventualidades como, por exemplo, "ficas"? 

Este é um assunto que deve ser pensando e repensado ao se planejar um retiro. Se o seu grupo possui tanto meninos como meninas, fazer um retiro junto pode não ser uma boa ideia (pode, não estou dizendo que é proibido, vai do bom senso e da maturidade do grupo). Vamos pensar juntos:
  • Os pais das meninas deixarão elas participarem do retiro, principalmente se este for de mais de umdia em regime de internato (dorme-se no local)?
  • O grupo tem maturidade suficiente para entender que o retiro não é um passeio, mas sim um momento privilegiado de espiritualidade, formação, etc.?
  • O que o seu pároco acha da ideia?
A sabedoria popular diz: "Prevenir é melhor que remediar". Se o retiro acontecer nestas condições, que atitudes a coordenação/ direção do grupo pretende tomar, para coibir algumas ocasiões em que podem acontecer ficas, namoros fora de hora, brincadeiras indesejáveis, etc.? Aqui, o mais importante é saber a opinião dos pais e que a do grupo também seja apresentada a estes.




7.    Algum adulto responsável participará do retiro?

É interessante que algum adulto responsável acompanhe o retiro. Pra quê? Se o grupo for todo de coroinhas menores de idade, não preciso dizer que isto é praticamente obrigatório, não é? Um adulto tem mais experiência a repassar para os demais coroinhas e poderá ter mais conhecimentos nas lidas domèsticas do que aguns coroinhas, Este é só um exemplo da importancia de um adulto.


Quem pode ser este adulto: Um pai/ uma mãe, desde que eles compreendam que trata-se de um retiro. Qualquer pessoa que não seja do grupo, deve deixar os coroinhas o mais confortáveis possível. Isto não implica dizer que vai permitir que vocês façam o que bem entenderem no local. 
Alguma pessoa de sua paróquia, que tenha um certo contato com o grupo, ou que já tenha realizado ou participado de algum retiro também deve ser bem vinda. Ele (a) poderá ajudar bastante no bom andamento do retiro.




8.    Qual o apoio do pároco/ paróquia?

é preciso que o padre, quer seja por si ou através da paróquia, colabore  com o grupo, desde o planejamento do retiro. Não falo só material e financeiramente, mas por exemplo, reservem um horário do retiro para que o Padre participe, através de uma formação, missa ou outro momento apropriado. Afinal de contas ele é o pastor que guia as ovelhas-coroinhas.



9.    Quem poderá ser formador (a) no retiro?

Como já falei acima o Padre deve ser um formador. Se ele não puder, que ao menos uma missa ele celebre. Outras pessoas podem ser formadoras: um catequista, algum pregador, um missionário, um outro padre, uma religiosa, e tantas outras pessoas. Mas dou a seguinte sugestão: que nenhum dos membros do grupo, no retiro, seja formador. Por dois motivos:
  1. O retiro deve ser para o grupo de coroinhas. Portanto todos devem partcipar igualitariamente dele. Logo, quem ministra uma formação aparenta estar num grau de conhecimento mais elevado que os demais. Até pode está, mas não é bom expressar isto tão claramente.
  2. Muito (mais muito) provavelmente, o coroinha que for ministrar a formação no retiro, já fez outras formações anteriormente. No retiro, o novo sempre é bem vindo. Afinal de contas, retiro significa também "retirar-se um pouco das coisas cotidianas". ;-) Pense nisso!!!


10.   O grupo tem realmente vontade de realizar um retiro?

É simples: os coroinhas querem aprofundar-se  em algum tema ou aspecto (psiquico, afetivo, espiritual, etc.)? Ou quer apenas "cumprir tabela", porque todos os anos anteriores realizou retiros. 
É preciso, é fundamental ter motivação para realizar um encontro de espiritualidade como um retito. Já pensou o time que você torce entrar em campo sem querer jogar? Vai ser goleado com certeza, não é?


No próximo artigo falaremos sobre os recursos materiais e financeiros de um retiro. Espero por você. Até lá!!!

24 de mar de 2009

Pensando no Retiro - Parte 1



Ontem te deixei alguns questionamentos que nos nortearam quanto à preparação do Retiro Espiritual de seu Grupo de Coroinhas. Hoje vamos falar sobre as cinco primeiras perguntas, com detalhes.



1. Porquê e para quê realizar um retiro?


Parece uma pergunta sem sentido: "Ora, queremos realizar o retiro para... para...".


Pra quê o seu grupo quer realizar um retiro? Um reitor é um momento privilegiado onde podem ser trabalhados vários aspectos da vida e da caminhada do coroinha: seu aspecto emocional, humano-afetivo, social, religioso; seus conhecimentos enquanto coroinha; sua vida dentro da família. Portanto, resolver esta perguntar trará um bom encaminhamento do que será preciso para realizar o retiro.


Outra coisa a se pensar é: "o grupo quer fazer um retiro, ou quer apenas ficar fora de casa e do que vive diariamente, transformando o retiro num passeio?"



2. O que o Grupo espera deste retiro?


Aqui envolve pensar em que se deseja obter do retiro, quais serão os frutos que vocês querem tirar dele. Pense no que você quer ver nos coroinhas depois da realização do retiro: um grupo com mais espiritualidade, mais união, mais entrosamento, compromisso, etc.


A partir deste pensamento, defina o que você espera do grupo, pós retiro. Você saberá com isto, por onde começar a planejar o retiro, ou seja, de acordo com as necessidades que serão impostas pelo que se espera do grupo, quando da realização do retiro.



3. O retiro terá quantos dias de duração?


O grupo pretende fazer um retiro, uma manhã, um dia de espiritualidade...? Muitas vezes (mas muitas mesmo) realizar uma manhã ou um dia apenas de retiro espiritual, trará mais frutos do que vários dias. Nunca se sabe a disposição dos coroinhas a partir do início de um retiro. Converse com o grupo, discuta a realidade deste:



  • Temos condições financeiras, humas e materias para realizar um retiro longo?

  • Vale a pena um retiro curto? e um longo, de três a cinco dias por exemplo.

  • O que os pais de coroinhas menores de idade pensam a respeito do retiro, quer seja de um, dois a cinco dias?

Procure também saber a opinião do ároco e de outras pessoas, de outras pastorais que já realizaram retiros. Com certeza elas terão muita experiência e muitas liçoes que tiraram deles. ;-)



4. O grupo tem recursos (financeiros, materiais e humanos) para a realização do retiro? E se este for de mais de um dia?


Um retiro implica alguns gastos e empenhos:


Financeiros e materiais:



  • transporte (dos coroinhas, de formadores, de pais, de cozinheiras, etc), hospedagem, alimentação, higiene pessoal e do local, material de secretaria (xérox, cartões, materiais de dinâmicas e jogos), etc.

Humanos:



  • Formadores, dinamizadores, espiritualizadores, coordenadores, etc.

Acrescente alguns outros pontos e comece a conversar com os coroinhas sobre esta parte.



5. Caso o grupo precise dormir no local do retiro, quantos coroinhas não participarão do retiro, julgando-se que alguns pais não permitam a participação de seus filhos, neste caso?


Frequentemente alguns pais não permitem a participação de seus filhos, por diversos motivos: não participação de adultos ou responsáveis, devido ao local ser longe ou fora da cidade, pela possível falta de maturidade da coordenação, e outros fatores.


Dica: primeiro combine uma reunião com os pais e responsáveis dos coroinhas e mantenha-os informados do planejamento do retiro. Assim eles passarão a ter mais comfiança e darão crédito ao retiro. Outro aspecto que julgo importante é a presença de um adulto responsável no retiro. Os próprios pais, dois ou três deles, podem colaborar até mesmo com formações e outras funções.


Para finalizar esta primeira parte, penso que você tenha percebido que sou contra retiros longos. Você está certo. Acredito que um retiro não pode ultrapassar três dias de realização. isto acabará transformando-o numa espécie de passeio.


Amanhã falaremos dos outros cinco questionamentos e, depois, passaremos a planejar o reito passo-a-passo, a partir de uma reunião de planejamento da coordenação, passando por reuniões compais e com os próprios coroinhas, até a realização do retiro em si. Até lá!!!



Qualquer dúvida, crítica construtiva ou sugestão, deixe um comentário abaixo. ;-)


23 de mar de 2009

Preparação - Execução - Avaliação de Retiros



Visitando - como de costume - algumas comunidades do orkut, vi uma preocupação de alguns coordenadores de Grupos de Coroinhas em relação ao retiro espiritual.


A partir de hoje, e ao longo desta semana, vou falar sobre o retiro, desde o seu planejamento / execução até a avaliação.


Para começar quero fazer você pensar um pouco sobre o retito. Deixarei alguns questionamentos, aos quais, amanhã, pensaremos juntos a respeito detalhadamente.



  1. Porquê e para quê realizar um retiro?

  2. O que o Grupo espera deste retiro?

  3. O retiro terá quantos dias de duração?

  4. O grupo tem recursos (financeiros, materiais e humanos) para a realização do retiro? E se este for de mais de um dia?

  5. Caso o grupo precise dormir no local do retiro, quantos coroinhas não participarão do retiro, julgando-se que alguns pais não permitam a participação de seus filhos, neste caso?

  6. Em caso de grupo que possui meninos e meninas, o retiro será junto ou separado por sexo? Em caso de não ser separado, que medidas serão tomadas para se evitar certas eventualidades como, por exemplo, "ficas"?

  7. Algum adulto responsável participará do retiro?

  8. Qual o apoio do pároco/ paróquia?

  9. Quem poderá ser formador (a) no retiro?

  10. O grupo tem realmente vontade de realizar um retiro?

Busque responder a estas questões. Amanhã conversaremos sobre cada uma delas com mais detalhes. Espero você, inclusivo com comentários trazendo suas dúvidas e/ou seugestões. Até lá!!!

20 de mar de 2009

Aguardem a primeira promoção deste blog

É isso mesmo ainda em março estarei divulgando e colocando no ar a primeira promoção do Portal do Acólito e da Formação Litúrgica. Estou definindo a forma (o regulamento) e a premiação.


O que pensei até agora:
  • Vou sortear um livro entre os participantes. Que livro? Formação para coroinhas ou Formação para Coroinhas 2 ou o Pequeno Manual do Acólito ou ainda Liturgia, conheça mais para celebrar melhor. Acho que será este último, se o encontrar numa livraria de minha cidade. Tenho que comprar antes de divulgar a promoção!
  • Para participar, acho que vocês terão de se inscrever, enviando um comentário, e deverão tornar-se seguidores do Blog.
É mais ou menos isso. Dia 31 divulgo aqui no Blog. Aguardem!!!

Planejamento para Grupos - Parte 2


Caso não acompanhou a primeira parte deste assunto, clique aqui e leia antes.



O que é um plano:
Plano é o registro por escrito das motivações e tomadas de decisões para dar andamento ao trabalho. O plano pode ser modificado se, no decorrer do processo de planejamento, for percebido uma necessidade de correção das decisões anteriores.


O que é ação:
Ação é o ato de interferir na realidade. Este ato de interferir na realidade pode ser planejado ou não. No primeiro caso nós teremos uma ação que tem tudo para ser eficaz e que provocará transformações. No segundo caso teremos um simples ativismo, que certamente não vai levar a nada. Pelo contrário, vai deixar todo mundo iludido de ter feito uma coisa boa. O essencial é a ação refletida, executada e avaliada.

Planejamento
Pastoral/comunitário/acompanhamento

1. Descreva a situação do grupo que você acompanha.

a) Número de participantes;
b) Tempo de existência;
c) Como são os participantes (cidade, comportamento, compromisso, interesse);
d) Quem os acompanha no grupo;
e) Existe preparação das reuniões? como?


2. Olhando para a realidade do grupo descreva que resultados você espera alcançar daqui a um ano?


3. Diante desta realidade descreva as cinco maiores dificuldades.


4. Quais são as necessidades que estas dificuldades apontam?


5. Priorize uma necessidade para planejar.


6. Passos - O que? Como? Quando? Onde?


7. Como será divulgado e partilhado este projeto?

19 de mar de 2009

Planejamento para Grupos de Coroinhas




Planejamento
Definindo conceitos


a) Participação


“A pessoa faz história tomando parte na definição dos rumos e na construção de uma nova sociedade. Na perspectiva cristã, o indivíduo é chamado a orientar-se e a comprometer-se para ser mais humano. Assumir-se sujeito e participar e comprometer-se com as decisões e ações no processo histórico.


“A participação do maior número no máximo de responsabilidade não é somente uma garantia de eficácia coletiva; ela é também uma condição de felicidade individual, uma tomada de poder cotidiano sobre o destino. Não se trata mais para o cidadão de delegar seus poderes, mas de exercer, em todos os níveis da vida social e em todas as etapas da vida” Faure.


O planejamento participativo... “é um processo em que as pessoas realmente participam porque a elas são entregues não só as decisões específicas, mas os próprios rumos que se deve imprimir à escola. Os diversos saberes são valorizados, cada pessoa se sente construtora - e realmente o é - de um todo que vai fazendo sentindo à medida em que a reflexão atinge a prática e esta vai esclarecendo a compreensão, e à medida em que os resultados práticos são alcançados em determinados rumos” Gandim.



b) O que é planejar?


O planejamento relaciona-se com a vida diária do homem. Vive-se planejando. De uma forma ou de outra, de uma maneira empírica ou científica, o homem planeja. Sempre que se buscam determinados fins, relacionam-se alguns meios necessários para atingi-los. Isto, de certa forma, é planejamento.


a) planejar é transformar a realidade numa direção escolhida;
b) planejar é organizar a própria ação (de grupo, sobretudo);
c) planejar é implantar um processo de intervenção na realidade;
d) planejar é agir racionalmente;
e) planejar é dar clareza e precisão à própria ação (de grupo sobretudo);
f) planejar é explicitar os fundamentos da ação do grupo;
g) planejar é realizar um conjunto de ações, proposta para aproximar uma realidade um ideal;
h) planejar é pôr em ação um conjunto de técnicas para racionalizar a ação.


O que é um planejamento?

Planejamento é um processo de tomada de decisões. Processo significa uma série de ações, de reuniões, discussões, reflexões e decisões envolvendo todos os participantes do grupo, setor ou serviço que planeja. É pensar ANTES, DURANTE e DEPOIS.


Planejamento é o processo de tomada de decisões sobre o trabalho a ser feito. Não se faz numa reunião. Ele começa bem antes de se registrar qualquer coisa por escrito e não termina depois que elaboramos um plano de ação. Esse processo acompanha todo o trabalho e vai indicando caminhos o tempo inteiro.

Como este artigo já está ficando grande, amanhã eu continuo e trago a parte prática, através da qual você poderá fazer um bom planejamento para o Grupo que você faz parte. Até amanhã!

18 de mar de 2009

10 mandamentos do Planejamento no Grupo de Coroinhas


1) ESQUEÇA A BUROCRACIA – Planejar não é ir a reuniões chatas, em que a(o) Coordenador se sente como um carimbador de papéis ou simples ouvinte. O planejamento deve ser feito em conjunto com a equipe, deve ser dinâmico, participativo. Todos devem ter espaço para criar.

2) CONHEÇA BEM DE PERTO OS COROINHAS – Para planejar, é preciso conhecer as condições e os interesses dos coroinhas com os quais você trabalha. “Pergunte-se sempre: ‘O que meu amigo deve e pode aprender?’ 

3) FAÇA TUDO OUTRA VEZ (E MAIS OUTRA) – O planejamento é um processo. Ele deve ser sempre alterado, de acordo com as necessidades do Grupo. Replanejar constantemente é fundamental.

4) ESTUDE MUITO PARA ESTUDAR BEM – “Uma pessoa só pode ensinar aquilo que sabe”. Por isso, veja se você conhece bem os assuntos de que vai tratar, se não souber tente aprender. Participe de todas as oportunidades de formação que você puder. Claro que também é preciso saber como ensinar (e isso também se aprende ).

5) COLOQUE-SE NO LUGAR DO COROINHA – Quando pensar numa reunião, tente se colocar no lugar do Coroinha. Você deve saber se os temas trabalhados com o Grupo são importantes do ponto de vista do Coroinha.



6) DEFINA O QUE É MAIS IMPORTANTE – “Dificilmente será possível trabalhar todos os conteúdos com todo o Grupo”. Os critérios para estabelecer o que é mais importante ensinar devem ser as necessidades e as dificuldades dos Coroinhas.

7) PESQUISE EM VÁRIAS FONTES – Todo encontro requer material de apoio. Reserve tempo para pesquisar. Busque informações em livros, jornais, revistas, discos, na Internet ou em qualquer fonte ligada ao ministério de acólitos, sem preconceitos.

8) USE DIFERENTES MÉTODOS DE TRABALHO – O (a) Coordenador (a) deve aplicar diferentes métodos, como encontros expositivos, dinâmicas, atividades em grupo e pesquisas de campo. “Combinar várias formas de trabalho”.

9) CONVERSE E PEÇA AJUDA – O restante da coordenação, o pároco e/ou assessor precisa ajudar você a planejar. Eles devem contribuir para que seu trabalho seja coerente com o projeto de juventude. Conversar e trocar experiências com os colegas de outros Grupos ou que já não exercem mais a função, também é muito importante. Aproveite as reuniões e os encontros de formação.

10) ESCREVA, ESCREVA, ESCREVA – Uma boa idéia para analisar o que está ou não está dando certo em seu trabalho é comprar um caderno e anotar, no fim do dia, tudo o que você fez com seu Grupo, suas dúvidas e seus planos. Esse é um modo pratico de atualizar o planejamento.



10 Mandamentos para fazer um Grupo Crescer:



1º. Que todos compareçam às reuniões, mesmo que o tempo seja ruim. Se vierem poucos, valorizar a estes e trabalhar com os que estão presentes, sem ficar chorando a ausência: poucos e bons fazem mais do que muitos indecisos.


2º. Nunca chegar atrasado, e se não der para chegar a tempo, pede-se desculpas ao grupo: todos merecem respeito, tanto o que chega como os que estão na reunião.




3º. Durante o encontro não ficar procurando falhas nem nos dirigentes nem no comportamento dos companheiros.




4º. Aceitar sempre participar de equipes, trabalhos ou dar opinião, porque realizar é melhor do que ficar criticando ou tirando o corpo fora.




5º. Tanto no grupo como nas equipes em que se está, tomar parte sempre, para não ser apenas uma figura de enfeite.




6º. Se alguém pede nossa opinião sobre um assunto importante, procurar dizer sempre alguma coisa (sem repetir o que já foi dito), mesmo que o assunto não seja simpático.




7º. Nossas maneiras de ver "como deveriam ser as coisas", devem ser externadas durante os encontros e não depois deles.




8º. Ninguém faça apenas o absolutamente necessário, mas procure ajudar, e encorajar os demais. As críticas também são formas de ajuda, desde que sejam construtivas e sejam feitas para melhorar.




9º. Procurar ver sempre os encontros, as festinhas ou outros movimentos, como uma oportunidade de confraternização e não de desperdício de tempo e dinheiro.




10º. Não viver se queixando disto e daquilo, enjoando os companheiros com as mesmas doenças ou conversas, mesmos problemas e fofocas, mas viver interessado no crescimento do grupo e de cada pessoa.




Gostou? Tem dúvida? Comenta então... e diz a tua opinião.





17 de mar de 2009

Características do Tempo Quaresmal

Vejamos o que a CNBB* diz sobre o tempo da quaresma:


"Mais do que simples preparação para a Páscoa, a Quaresma é tempo de grande convocação para que toda a Igreja se deixe 'purificar do velho fermento para ser uma massa nova, levedada pela verdade'. 

É tempo de nos convertermos ao projeto de Deus, ouvindo e acolhendo Sua Palavra sempre viva e eficaz, que nos faz retomar o que fizemos no batismo: a opção fundamental de nossa fé. Dedicando mais tempo à oração, vamos fortalecendo as razões de nossa esperança e assumindo o verdadeiro e mais agradável jejum: a prática do perdão, da justiça e da caridade como compromisso de 'volta ao primeiro amor', selado na fonte batismal"

(cf. "Deus nos cerca de carinho e compaixão" - roteiros homiléticos da Quaresma, ano C, Introdução).


Do que a CNBB fala acima podemos e devemos destacar:
  • A retomada dos compromissos que assumimos no batismo;
  • Devemos convertermo-nos ao projeto de Deus;
  • Escutar a Sua Palavra;
  • Dedicar maior tempo à oração;
  • assumir e praticar o verdadeiro jejum, que é a prática do perdão, da justiça e da caridade.
Exercitando o que aprendi:


Com base no que já falamos até aqui sobre a Quaresma , responda por comentário:


  1. Quando começa e quando termina a Quaresma?
  2. O que quer dizer conversão?
  3. Qual o sentido no número 40, na Bíblia?
  4. Indique três características do tempo quaresmal.
Vá respondendo às questões que proponho nos artigos. Logo logo essas respostas valerão prêmios, aguarde!



* CNBB: Conferência Nacional dos Bispos do Brasil

O que quer dizer Quaresma?




Vamos iniciar hoje falando sobre a Quaresma, o tempo litúrgico em que estamos vivendo.

A palavra quaresma vem de outra palavra do latim: quadragésima, ou seja: o quadragésimo dia antes da Páscoa. Tem a duração de quarenta dias (sem contar com os domingos, pois nesse dia não se faz penitência) e prepara a celebração anual do mistério pascal.

Início e término da Quaresma:





A quaresma começa na quarta-feira de cinzas e termina na manhã da quinta-feira santa, com a celebração da bênção dos santos óleos.


Os números na Bíblia trazem muitos significados e não podia ser diferente com o número quarenta que tem grande expressão simbólica:

  • quarenta anos o povo percorreu o deserto;
  • quarenta dias Moisés e Elias se prepararam para encontrar-se com Deus no monte Horeb;
  • quarenta dias e quarenta noites de dilúvio;
  • quarenta dias Jonas pregou aos habitantes de Nínive;
  • Jesus passou quarenta dias no deserto, lutando contra as tentações e preparando-se para a sua missão.

Como podemos observar com esses dados bíblicos, quarenta indica tempo de caminhada, purificação e renovação espiritual.

A partir da quaresma (e com ela) começa o ciclo pascal, no qual o ponto mais alto é o tríduo pascal: sexta-feira santa, sábado santo e domingo da ressurreição) e vai até a Pentecostes.

E os Domingos da Quaresma?

Os domingo no tempo quaresmal são chamados de I, II, III, IV e V domingos da Quaresma. E o sexto domingo? O sexto domingo, é o que inicia a semana santa e chama-se domingo de ramos e da paixão do Senhor.

Por enquanto é só, mas falaremos ainda sobre as características da Quaresma, seus aspectos simbólicos, dicas práticas para preparar a liturgia da semana santa e muito mais.


16 de mar de 2009

As Insígnias do Bispo


Báculo: cajado que o bispo utiliza para as celebrações. Simboliza que o bispo é pastor.

Mitra: uma espécie de chapéu alto com duas pontas na parte superior e duas tiras da mesma tela que caem sobre os ombros.


Anel: simboliza a união do bispo com os fiéis de sua diocese e, de maneira mais abrangente, a união do bispo com toda a igreja.


Cruz peitoral: Cruz que os bispos levam sobre o peito.


Solidéu: peça de tela de forma arredondada e côncava que cobre a coroa da cabeça.

15 de mar de 2009

Vestes Litúrgicas

Hoje falamos sobre o espaço das celebrações litúrgicas. E agora vamos falar das vestes litúrgicas. Vamos lá:

Alva ou túnica: veste longa, de cor branca, comum aos ministros de qualquer grau.

Amito: pano que o padre coloca ao redor do pescoço antes de revestir outros paramentos. Hoje o amito é pouco usado, mas tem grande utilidade, pois não permite que a roupa (camisa, blusa) por baixo da túnica apareça.

Casula: veste própria do sacerdote que preside a celebração. Espécie de manto que se veste sobre a alva (túnica, lembra?) e a estola. A casula deve acompanhar a cor litúrgica do dia.

Capa pluvial: capa longa que o sacerdote usa ao dar a bênção com o Santíssimo, ou ao conduzi-lo nas procissões, e ao aspergir a assembléia.

Cíngulo: cordão com o qual se prende a alva ao redor da cintura.

Dalmática: veste própria do diácono. É colocada sobre a alva e a estola.

Estola: veste litúrgica dos ministros ordenados. O bispo e o presbítero a colocam sobre os ombros de modo que caia pela frente em forma de duas tiras, acompanhando o comprimento da alva ou túnica. Os diáconos usam a estola a tiracolo sobre o ombro esquerdo, pendendo-a do lado direito.

Véu do cálice: pano quadrado com o qual se cobre o cálice (quase não se usa mais, tanto que nem encontrei uma imagem).

Véu umeral (ou véu de ombros): manto retangular que o sacerdote usa sobre os ombros, ao dar a benção com o Santíssimo ou ao transportar o ostensório com o Santíssimo Sacramento.


Amanhã falaremos sobre as insígnias do bispo, que são os símbolos de pastor que o bispo usa.


E quanto as vestes que o coroinha deve usar?


Não existe nenhuma norma quanto a utilização de um modelo específico de veste para nós, coroinhas. Fica a critério do pároco ou, como da Diocese que faço parte (Diocese de Crato - Ceará) o bispo pode indicar um modelo único, a ser usado por todos os coroinhas. Aqui utilizamos uma túnica vermelha e por cima uma sobrepeliz branca bordada ou com rendas.


O Espaço da Celebração


O Espaço da Celebração


Presbitério: espaço ao redor do altar, geralmente um pouco elevado, onde se realizam os ritos sagrados.


Altar: mesa fixa ou móvel destinada à celebração eucarística.


Ambão ou mesa da Palavra: estante de onde se proclama a Palavra de Deus.


Credência: mesinha onde se colocam os objetos litúrgicos que serão utilizados na celebração.


Púlpito: nas igrejas mais antigas, lugar de onde o sacerdote dirige a pregação.


Sacrário ou tabernáculo: espécie de pequena urna onde se guarda o Santíssimo Sacramento.


Batistério: lugar reservado para a celebração do batismo. Em substituição ao verdadeiro batistério, usa-se a pia batismal.


Sacristia: sala anexa à igreja onde se guardam as vestes dos ministros e os objetos destinados às celebrações; é também o lugar onde os ministros se paramentam.

Nave da igreja: espaço destinado aos fiéis.

Ainda hoje falaremos das vestes litúrgicas. Caso tenha alguma dúvida deixe-nos um comentário.

14 de mar de 2009

Parceria


 
Gostaria de fazer  parcerias com  comunidades do Orkut. 

Para quê parceria?

A parceria é uma troca de divulgação entre as partes envolvidas. Através de links ou imagens "linkadas", é possível divulgar um o trabalho do outro.

Como será a parceria?

Para formalizar uma parceria, é preciso seguir as diretrizes deste blog:

  • Somente comunidades relacionadas a Igreja,  Religião Católica e ao Ministério (e não pastoral ;-) de Acólitos/ Coroinhas.
  • O dono da comunidade, deverá disponibilizar o link deste blog no perfil da comunidade e deixar que eu inclua dois fóruns divulgando este Blog e a Rede Social Coroinhas do Brasil.
Código para divulgar a Rede no Perfil da Comunidade:



   [b] [red] Visite o Portal do Acólito/ Coroinha:

  [link] http://portaldoacolito.blogspot.com [/link]


Copie o código e cole no perfil da sua comunidade. Feito isto, deixe o seu comentário nesta postagem com o link para a comunidade e o nome dela.


Após verificar se tudo está correto entramos em contato para divulgarmos a sua comunidade através de link ou de link + banner (120 x 60) da sua comunidade.



 

O que é liturgia? E celebrações litúrgicas?

O que é liturgia?


Primeiro que tudo, liturgia é ação. Quando pensamos em ação, logo nos vem em mente o movimento. Deste forma, a liturgia se expressa através de palavras e gestos. Por isso ela é toda feita de sinais que chegam aos nossos sentidos (tato, paladar, olfato, visão e audição).


Antigamente, fora do aspecto religioso, liturgia significava ação do povo. A partir disso, a Igreja adotou esse termo para indicar ação do povo reunido para expressar sua fé em Deus.

O que é celebrar?


Celebrar pode ter vários significados: festejar com parentes e amigos, solenizar, honrar, exaltar, etc. 


 
O casamento é uma celebração!


Nós seres humanos, somos naturalmente celebrativos. Você facilmente se reúne, com um grupo de pessoas para celebrar aniversários, festinhas do Grupo de Coroinhas, vitórias esportivas, formaturas, batizados, casamentos e até funerais. 


Mas, para celebrar, alguns elementos se fazem importantes:
  1. Não se celebra sozinho. Celebrar é um ato público, uma reunião de pessoas. Não tem sentido você, sozinho, celebrar o seu aniversário. Já imaginou você cantando parabéns para você mesmo?
  2. Somente celebramos em momentos especiais. Não se celebra a toda hora.
  3. Para celebrar é preciso ter um motivo. Motivos que podem ser os mais variados: o nascimento de um bebê, dia das mães, um ano de namoro, etc.
  4. Para celebrar é preciso de ritos. Ritos são gestos que se repetem. Por exemplo: no seu aniversário o que se repete? A entrega do convite, a chegada dos seus amigos, o bolo, as velinhas, os parabéns,,, São atos que estão ligados a este tipo de celebração, o aniversário, que é diferente dos acontecimentos de um casamento, por exemplo. Com toda certeza você saberá diferenciar um aniversário de um casamento, não é?
  5. É preciso de espaço, para que as pessoas possam reunir-se: A Igreja, uma escola, sua casa, um clube, etc.
  6. É preciso tempo. É preciso que haja uma hora marcada, para que os participantes saibam a hora de estar na celebração. Também é necessária uma duração. Dependendo da celebração, ela pode durar uma hora, um dia, uma semana, e assim vai.
Lembrando os elementos celebrativos: ato público,  momentos especiais, motivos, ritos, espaço e tempo. Todos eles se aplicam a qualquer tipo de celebração.


E as Celebrações Litúrgicas?


As celebrações litúrgicas são encontros de Deus com o seu povo reunido. Para que esses encontros aconteçam, é preciso o que chamamos de elementos constitutivos da celebração litúrgica. Vamos destacar e falar dos principais:
  1. Assembléia: pessoas batizadas que se reúnem para batizar.
  2. Ministros: vamos diferenciar os ministros: há ministros ordenados - bispos, padres, diáconos - e os ministros instituídos - leitores e acólitos. Existem outros ministros não ordenados nem instituídos: ministro extraordinário para a distribuição da Eucaristia, ministro da palavra, etc. Há também ministros para os mais variados serviços que são exercidos dentro da celebração litúrgica.
  3. Proclamação da Palavra de Deus: leitura de trecho (s) escolhidos para a celebração.
  4. Palavra da Igreja: explicação da Palavra de Deus que foi lida. São a homilia e orações.
  5. Ações simbólicas: símbolos e ritos pelos quais os fiéis entram em comunhão/ sintonia com Deus.
  6. Canto: representa a harmonia do cristão, unidos pela mesma fé.
  7. Espaço: local da celebração e ocasião para se reforçar os laços de comunidade/ fraternidade.
  8. Tempo: É o instante de graça de Deus; são momentos em que Deus realiza seu plan de salvação em nossa história.
Exercitando o que aprendi:


  1. O ser humano é naturalmente ___________________.
  2. Celebrar é um ato __________________ (reunião de pessoas)
  3. Celebrar depende de ________________ São gestos que se repetem.
  4. Celebrar supõe ___________________. Um lugar onde as pessoas se reúnem.
  5. _______________ é um grupo de pessoas batizadas que se reúnem para celebrar.
Que tal responder através de comentário as questões acima? Vamos lá! Mostre que você entendeu bem o assunto. É só clicar em comentários, logo abaixo.

Rede Social Coroinhas do Brasil


Juntamente com este blog, queremos inaugurar a Rede Social Coroinhas do Brasil





Esta Rede Social será o espaço destinado a reunir o maior número possível de coroinhas de todo o Brasil. Coroinhas com menos de uma ano de caminhada até coroinhas já veteranos e também quem não é coroinha mas tem algum parente ou amigo e gosta deste maravilhoso ministério.




Na Rede Social Coroinhas do Brasil você poderá usufruir dos mais variados recursos:


* Ter a sua própria página, com domínio próprio: http://coroinhas.ning.com/profile/SEUNOME


* Participar e Criar:


* Fóruns;


* Grupos;


* Blogs;


* Adicionar músicas, fotos e vídeos;


* Adicionar aplicativos à sua Página, como, por exemplo, o famoso buddypoke, do orkut.


* Participar de Bate-Papos;


* Convidar seus amigos para fazer parte da rede social, de seus grupos, blog ou fóruns;


* fazer novas amizades com os membros da rede;


* E MUITO MAIS... Só vendo pra crer!!!


Como participar da nossa Rede Social:

Primeiro você precisa cadastrar-se para ter acesso a todas as funcionalidades que a rede oferece.


Basta clicar em registrar-se, no canto superior direito da página principal da rede e inserir um email válido e digitar uma senha de sua preferência. É simples, rápido e prático.




Concluindo o cadastro você já fará parte da Rede Social Coroinhas do Brasil.



Esperamos encontrar você por lá!!!




Quer mais um motivo para participar? Vamos te dar:


Críticos da internet dizem que a Ning (plataforma em que criamos a Rede Social) é melhor que o Orkut. Outros a definem assim: "Criar uma rede social no Ning é como brincar de fazer seu próprio Orkut, só que com mais funcionalidades e recursos".


Gostou?! Gosta/ ama o Padre Léo?!


Clique Aqui e faça parte da nossa Rede Social!!!






Rede Social criada na Plataforma NING*


* Ning, significa paz!!!





Oração do Coroinha

ORAÇÃO DO COROINHA


Ó Jesus Adolescente,

que vivias com o Pai celeste

em profunda e filial sintonia,

aceita nossa dedicação

a serviço da liturgia.


Nosso desejo é tratar com respeito,

sem preconceito,

as pessoas da comunidade,

que contam com teu auxílio

na difícil caminhada;

dá-nos um coração repleto de amor

aos pobres e simples deste mundo.


Alimenta-nos com a tua palavra

e com os teus ensinamentos,

pois queremos te ajudar, ó Jesus,

a transformar a sociedade,

e assim celebrarmos dignamente,

com sinais, ritos e movimentos,

a salvação que ofereces

hoje e sempre

em favor da humanidade.


Amém!

Sobre mim e o blog:


Sobre o Blog:


O Portal do Acólito/ Coroinha, pretende ser um espaço privilegiado de formação para acólitos/ coroinhas, em diversos aspectos: litúrgico, intelectual, humano-afetivo, psicológico, etc. Serão diversos artigos, divididos e organizados em níveis básico, intermediário e avançado.


Nessas formações trataremos de diversos assuntos, como:
  • Liturgia
  • Bíblia
  • Mariologia
  • Espiritualidade
  • Posturas, movimentos e gestos do Acólito
  • Participação do acólito passo-a-passo
  • Ano, símbolos, cores e objetos litúrgicos
  • Termos, livros e funções litúrgicas
  • Sacramentos
  • Igreja, religião, etc.
  • A missa parte por parte
  • Simbolismo e realidade 
 e muitos outros assuntos relacionados à caminhada/ vida de um (a) coroinha.


Também - e de forma toda especial - darei atenção aos coordenadores e dirigentes de Grupos de Acólitos/  Coroinhas. Trarei orientações teóricas e práticas para que as coordenações tenham êxito na difícil, mas prazerosa, missão de catequizar, formar e acompanhar as crianças, adolescentes e jovens, meninos e meninas, rapazes e moças, em sua caminhada de acólitos.


Acima de tudo o que já disse até aqui, espero que este blog, seja um valioso espaço para q troca de conhecimentos e experiências entre nós. 


Sobre mim:


Eu sou Francisco Robson, 23 anos, do signo Jesus Cristo. Moro em Crato - Ceará. Iniciei a minha caminhada de Coroinha em 21 de setembro de 1997. Deixei de desempenhar esta função, por conta da idade e de outras atividades, aos 21 de setembro de 2008. Portanto, e como digo em meu perfil, são 11 anos de bons serviços a Deus e a Sua Igreja, através deste maravilhoso ministério que é ser acólito.


Durante este período pude ser:
  • II Secretário e semanas depois I Secretário.
  • Vice-Coordenador por 2 anos;
  • Coordenador Geral por 3 anos, quando entreguei o cargo ao final do mandato, para estudar (faculdade)
  • Fundei um grupo de coroinhas-mulheres em 2006.
  • Junto com os colegas, formamos entre 30 a 40 novos coroinhas.
  • Liderei um movimento na Diocese de Crato, para fundarmos uma coordenação forânea de Grupos de Acólitos. 
Jogo rápido comigo mesmo:


Grupo que participo: Grupo de Acólitos Sanctus Dominicus Sávio, Paróquia Sagrado Coração de Jesus, Crato - Ceará.


Tempo como Coroinha: 11 anos


Santos de devoção: Santa Teresinha, São Domingos Sávio e São Francisco


Coroinha perfeito: Aquele que sabe o que fazer antes de ser feito.


Coroinha mais imperfeito: Se existir coroinha assim, com muita dedicação devemos procurar mudar essa visão.


Não gosto: Da discriminação que coroinhas sofrem em algumas paróquias. No entanto, quer queira quer não, somos os causadores desta aversão quando não nos comportamos de forma correta.

Momento marcante como coroinha: O nosso Grupo, é o maior vencedor da Gincana Bíblica de nossa paróquia: 3 vitórias em 4 edições. 


Momento mais triste: A morte de um  coroinha (Caio Guilherme, em 29 de dezembro de 2004).


Orientação a um Coordenador: "Que não deixe que a espiritualidade do Grupo de coroinhas seja invadida por outras, como o carisma da Renovação Carismática Católica. Devemos saber separar as coisas: no grupo de coroinhas sou e devo comportar-me como coroinha. Outro ponto que julgo importantíssimo é a preparação antes da celebração litúrgica: deve ser momentos fortes de oração pessoal e do Grupo"



Projetos atualmente: Tentar criar no Grupo, um sub-grupo chamado G-8, que conará com a participação de oito mestres de cerimônia (cerimoniários) que terá a participação de outros membros de tempos em tempos.

13 de mar de 2009

Responsabilidades do Coroinha (comentada)



Como primeiro assunto, vamos tratar das responsabilidades/ compromissos de quem, livremente, deseja ser um bom Coroinha. Após cada responsabilidade, trago até você, meu comentário que tem o objetivo de melhorar a compreensão de cada uma delas.


Vamos lá!



  1. Participe das Reuniões e demais compromissos assumidos.

É o básico para quem deseja ser coroinha, participar dos compromissos assumidos, aos quais, como coroinha, assumiu. Certamente, um dia você precisará falatar a alguma atividade do seu grupo. Quando isso acontecer, quando você precisar faltar, procure comunicar anteceipadamente a coordenação o0 motivo da sua ausência.



2. Seja pontual. Chegue a tempo para as reuniões e celebrações.


Esse ponto é tão sério que pretendo falar sobre isso noutra oportunidade. A impontualidade é um grande defeito que deve ser, o mais rapidamente possível, corrigido. Como coordenador combinei com os coroinhas que ninguém se paramentaria (usaria as vestes litúrgicas) caso chegasse atrasado às missas. Porquê? Porque o período antes da missa deve ser um momento privilegiado de oração e preparação para uma boa e eficaz participação do coroinha na celebração.


Mas se você chegar atrasado, faça uma pequena oração num lugar a parte. Assim você entrará em sintonia com o momento, quer seja ele uma missa, uma reunião, etc.



3. Seja asseado. Esteja sempre limpo, cabelos penteados, calçcados e roupa bem arrumados.


Será que existem coroinhas que participam de missas, reuniões, ou outras atividades, sujo despenteado, a roupa toda amassada...? Existe e já conheci (e ainda conheço) alguns. ´Você também conhece um coroinha assim?


Se isto acontece numa eventualidade não pode virar hábito, jamais! O mesmo sentido de limpeza e higiene pessoal, vale para a sua veste litúrgica (túnica): lave-a ao menos mensalmente.



4. Seja cuidadoso com as coisas da Igreja e do altar. Trate os utensílios litúrgicos com respeito, como objetos destinados ao culto divino.



Os objetos que você utiliza nas celebrações litúrgicas e paralitúrgicas (Exemplos: litúrgica: missa. paralitúrgica: adoração) não são os mesmos que você utiliza na escola ou em casa, por exemplo. Como diz nesta 4º reponsabilidade: "são objetos destinados para o culto divino". Ou seja, utilizados para as coisas de Deus. Então nada de emprestar a túnica para seu amigo ser padre no São João! :-D



5. Seja humilde e preste atenção ao que lhe for ensinado pelas pessoas encarregadas de sua formação.


Se realmente você quer ser um bom coroinha, primeiro que tudo você tem que aprender a ser. Para isso, entre outras coisas, você precisará do principal:



  • Humildade: para saber que alguém encarregado da sua formação tem mais experiência como coroinha do que você. O que não impede de um dia você vir a entender do assunto mais do que ele, só vai precisar de muito estudo.

  • Atenção: porque sem ela você não conseguirá assimilar os ensinamentos destinados a você.
Por enquanto é só. Amanhã continuaremos falando sobre as "Responsabilidades do Coroinha". Até lá!!!

1 de mar de 2009

Aviso! Rede Social